Biologando

Como acabar com chulé: 3 formas incrivelmente simples de resolver o problema

Publicado em 20/02/2019 às 15h59

Se você quer saber como acabar com chulé, seguindo indicações científicas comprovadas, está no lugar certo. O Chulé é a combinação de suor nos pés e proliferação bacteriana. Na verdade, o nosso suor natural é praticamente sem cheiro, sendo composto de 99% de água.

No entanto, nossa pele, especialmente nos nossos pés, existe milhares de bactérias. Assim, o metabolismo bacteriano resulta na eliminação dos ácidos carboxílicos, os verdadeiros responsáveis pelo “cheiro de chulé”. Além disso, há uma ação de fungos que piora mais ainda a situação.

De fato, a indústria farmacêutica já está bastante evoluída em relação ao tratamento da Bromidrose axilar e plantar (cecê e chulé). No entanto, a cada dia, as pessoas têm buscado mais alternativas naturais para problemas do cotidiano. Dessa forma, há opções naturais na forma de remédios caseiros que são tão eficazes quanto as alternativas industrializadas.

HÁBITOS PARA ACABAR COM CHULÉ

Antes mesmo de saber as receitas caseiras para acabar com o chulé, é importante, saber como cuidar dos pés corretamente. Assim, você nunca mais terá problemas com as bactérias causadoras do chulé.

Manter uma rotina correta com seus pés, livrará você de qualquer mau cheiro. Para isso, você só terá que manter os pés limpos e bem cuidados. O segredo, é seguir o check-list abaixo.

CUIDADOS COM OS PÉS

  • É importante secar completamente os pés após a lavagem. Preste atenção, sobretudo, entre os dedos dos pés. Este, decerto, é o local preferido das bactérias e qualquer umidade permite seu crescimento.
  • Corte as unhas dos pés, mantendo-as sempre curtas. Se caminhar em locais com sujeira, cuide para dar atenção especial a suas unhas durante o banho.
  • Remova a pele dura e morta dos seus pés com uma lixa. A calosidade na sola do pé fica macia e encharcada quando molhada. Isso, decerto, cria um ambiente que as bactérias adoram.
  • Troque as meias todos os dias. Se você for a academia ou fizer qualquer atividade que faça os pés suarem, troque a meia no meio do dia. Não deixe o suor secar na meia. Isso afeta a higiene dos seus pés.
  • Tenha pelo menos dois pares de sapatos de uso diário para alternar o uso a cada dois dias. Isso, decerto, permite que cada par seque completamente do suor ou da umidade por um dia inteiro antes de ser usado novamente.
  • Ainda sobre sapatos. Você pode, ao mesmo tempo, remover as palmilhas para facilitar a secagem de um dia para o outro. Sapatos molhados permitem que as bactérias cresçam rapidamente.
  • Escolha meias que absorvam a umidade em vez de mantê-la em pé. Estes incluem meias grossas e macias feitas de fibras naturais ou meias esportivas.
  • Dentro de casa, evite sapatos fechados e meias. Use sandálias, chinelos ou fique descalço, isso é até bom para melhorar o sistema imunológico.
  • Sapatos apertados ou que possam reter a umidade, podem te causar problemas com as bactérias. Evite sempre que puder.

PRODUTOS QUE AJUDAM A ACABAR COM CHULÉ

  • Use sabonetes antifúngicos ou antibacterianos e bucha ou escova para lavar os pés, com capricho, pelo menos uma vez por dia.
  • Use chumaço de algodão para aplicar uma pequena quantidade de álcool entre seus dedos antes de dormir. Isso ajudará a secar a umidade dos seus pés. Contudo, evite aplicá-lo sobre qualquer lesão. Se estiver com frieira ou machucados, não aplique o álcool.
  • Você pode optar por spray antifúngico para os pés ou um pó medicinal comprado em farmácia para usar pelo menos uma vez ao dia. Isso irá acelerar muito o processo.
  • Considere, ao mesmo tempo, o uso de palmilhas desodorantes com propriedades antifúngicas em seus sapatos.
  • Até que o problema se resolva faça o banho com listerine ou vinagre de maçã, como ensinamos abaixo. Considere também o uso do óleo de tomilho, ótima maneira de como acabar com chulé.

RECEITAS PARA ACABAR COM CHULÉ

ESCALDA PÉS DE VINAGRE

O vinagre também pode desinfetar os pés. Isso ajuda a eliminar ou reduzir o odor do pé, eliminando as bactérias causadoras do chulé. Como sabemos, o vinagre tem potente poder antifúngico e antisséptico.

Um tratamento com vinagre poderá acabar com chulé em menos de uma semana, se seguir todas as dicas diariamente.

  1. Lave os pés com água e sabão
  2. Misture uma xícara de vinagre de maçã a 8 xícaras de água morna
  3. Coloque os pés de molho nessa mistura por 10-15 minutos
  4. Em seguida, lave com água corrente e sabão antifúngico
  5. Seque bem com toalha limpa

ESCALDA PÉS COM LISTERINE®

O Listerine, é normalmente usado para ajudar a prevenir cáries e gengivite. Contudo, sua fórmula tem mentol e timol, dois antisséptico e antimicóticos.

Mas, para cuidar dos pés, tem-se recomendado seu uso como escalda pés. De fato, o resultado é impressionante. Este tipo de terapia caseira não é usado para combater o mau cheiro do chulé, mas sim pelas propriedades antifúngicas encontradas no mentol e no timol.

  1. Misture 1 copo de Listerine e 6 copos de água. Você precisará de bastante para cobrir seus pés. Caso necessite, dobre a receita.
  2. Algumas pessoas recomendam adicionar um copo de vinagre a essa solução. Contudo, não é absolutamente necessário, pois as propriedades do Listerine podem acabar com o chulé.
  3. Coloque os pés na solução por pelo menos 40 minutos todos os dias. Normalmente o problema se resolve em menos de 10 dias
  4. No entanto, mesmo com a cura, ocasionalmente, pode considerar usar o molho com listerine como prevenção.

TOMILHO CONTRA CHULÉ

Para que tudo dê certo, é importante seguir o “ritual antichulé”: Lavar bem os pés com sabonete antibacteriano e enxugar muito bem, principalmente entre os dedos. Em seguida, seguir os seguintes passos:

  • Preparar uma mistura de 1/4 de xícara de bicarbonato de sódio, 8 copos de água quente, 1 suco de limão e coloque tudo numa bacia. Em seguida, mergulhe os pés por 20 minutos. Lave os pés com água fria e seque bem. O bicarbonato e o limão, a saber, são antifúngicos e antibacterianos potentes.
  • Óleo de tomilho: Pingue algumas gotas de óleo de tomilho – comprado em lojas de produtos naturais – na mão e espalhe bem nos pés, não esquecendo de passar bem entre os dedos.
  • Ramo de tomilho: Adicione ramos de tomilho fresco ou seco dentro de seus sapatos fechados. Quando for usar tire, quando não estiver usando volte os ramos para dentro dos sapatos. Contudo, antes de fazer isso, lave ou limpe os sapatos.

Se este procedimento for feito todos os dias, em pouco tempo seu chulé terá acabado. Assim, você só terá que fazer este processo uma vez por semana ou a cada 15 dias como prevenção.

ESTUDOS SOBRE O TOMILHO CONTRA CHULÉ

Terminamos as dicas de como acabar com chulé, mostrando os estudos que comprovam a eficácia do tomilho. Diversos cientistas têm buscado estudar recursos naturais no combate da bromidrose plantar – chulé. Dois artigos científicos desenvolvidos pela Division Leather and Footwear Research Institute [1] [2] estudaram a ação do óleo essencial de tomilho contra bactérias e fungos comuns nos calçados e pés de pessoas com chulé.

Dessa forma, até os pesquisadores se mostraram surpresos com o poder antifúngico e antibactericida do tomilho diante das bactérias dos pés. Um dos estudos [1] diz que, decerto, as substâncias timol e carvacrol presentes no tomilho são os conteúdos responsáveis por acabar com a atividade microbiana nos pés.

Da mesma forma, outro estudo publicado na revista International Journal of Cosmetic Science [3], procurou estudar todos os tipos de tratamentos para bromidrose. Vários óleos essenciais forma testados e mais uma vez, o tomilho de mostrou muito mais eficiente que os demais. Segundo o estudo, o carvacrol presente no óleo da flor do tomilho, inibiu a ação microbiana em 68,9% .

ARTIGOS: PELA DIVISION LEATHER AND FOOTWEAR RESEARCH INSTITUTE [1] [2] INTERNATIONAL JOURNAL OF COSMETIC SCIENCE [3]

Atenção: O material neste site é fornecido apenas para fins educacionais, e não deve ser usado para conselhos médicos, diagnósticos ou tratamentos. 

Fonte: Diário de Biologia

OMILHO CONTRA CHULÉ

Para que tudo dê certo, é importante seguir o “ritual antichulé”: Lavar bem os pés com sabonete antibacteriano e enxugar muito bem, principalmente entre os dedos. Em seguida, seguir os seguintes passos:

  • Preparar uma mistura de 1/4 de xícara de bicarbonato de sódio, 8 copos de água quente, 1 suco de limão e coloque tudo numa bacia. Em seguida, mergulhe os pés por 20 minutos. Lave os pés com água fria e seque bem. O bicarbonato e o limão, a saber, são antifúngicos e antibacterianos potentes.
  • Óleo de tomilho: Pingue algumas gotas de óleo de tomilho – comprado em lojas de produtos naturais – na mão e espalhe bem nos pés, não esquecendo de passar bem entre os dedos.
  • Ramo de tomilho: Adicione ramos de tomilho fresco ou seco dentro de seus sapatos fechados. Quando for usar tire, quando não estiver usando volte os ramos para dentro dos sapatos. Contudo, antes de fazer isso, lave ou limpe os sapatos.

Se este procedimento for feito todos os dias, em pouco tempo seu chulé terá acabado. Assim, você só terá que fazer este processo uma vez por semana ou a cada 15 dias como prevenção.

ESTUDOS SOBRE O TOMILHO CONTRA CHULÉ

Terminamos as dicas de como acabar com chulé, mostrando os estudos que comprovam a eficácia do tomilho. Diversos cientistas têm buscado estudar recursos naturais no combate da bromidrose plantar – chulé. Dois artigos científicos desenvolvidos pela Division Leather and Footwear Research Institute [1] [2] estudaram a ação do óleo essencial de tomilho contra bactérias e fungos comuns nos calçados e pés de pessoas com chulé.

Dessa forma, até os pesquisadores se mostraram surpresos com o poder antifúngico e antibactericida do tomilho diante das bactérias dos pés. Um dos estudos [1] diz que, decerto, as substâncias timol e carvacrol presentes no tomilho são os conteúdos responsáveis por acabar com a atividade microbiana nos pés.

Da mesma forma, outro estudo publicado na revista International Journal of Cosmetic Science [3], procurou estudar todos os tipos de tratamentos para bromidrose. Vários óleos essenciais forma testados e mais uma vez, o tomilho de mostrou muito mais eficiente que os demais. Segundo o estudo, o carvacrol presente no óleo da flor do tomilho, inibiu a ação microbiana em 68,9% .

ARTIGOS: PELA DIVISION LEATHER AND FOOTWEAR RESEARCH INSTITUTE [1] [2] INTERNATIONAL JOURNAL OF COSMETIC SCIENCE [3]

Atenção: O material neste site é fornecido apenas para fins educacionais, e não deve ser usado para conselhos médicos, diagnósticos ou tratamentos. 

Categoria: Opinião, Saúde
Comentários (0) e Compartilhar

Prefeitura amplia fiscalização contra abandono de animais de médio e grande porte

Publicado em 19/02/2019 às 16h47
Cavalos, bois e outras espécies à solta geram transtornos e oferecem riscos especialmente para motoristas
 
Animais de médio e grande porte soltos em locais públicos continuam gerando transtornos e oferecendo riscos para a população, especialmente para os motoristas. Para tentar reduzir o problema, a Prefeitura de Muriaé vai intensificar a fiscalização nas ruas e estradas, realizando operações em datas aleatórias. 
 
Assim, bois, cavalos e outras espécies que estiverem à solta serão levadas para o Centro de Controle de Zoonoses. Os proprietários terão prazo de até cinco dias para fazer a retirada - após esse período, os animais poderão ser colocados para doação ou venda.
 
As medidas são previstas pelo artigo 392 da lei 2.358/99, o Código de Posturas do Município (CPM). No item seguinte, o documento enumera as proibições quanto a maus tratos ou atos de crueldade cometidos contra animais - dentre eles, o de "abandoná-los em vias e logradouros públicos".
 
Além do CPM, a chamada Lei de Crimes Ambientais (lei federal número 9.605/1998) também aborda a questão de maus tratos a animais. O texto prevê aplicação de multa e pena de três meses a um ano de detenção para os infratores.
 
Confira o que a legislação diz sobre o assunto:
 
LEI 2.358/99 - CÓDIGO DE POSTURAS
 
Art. 392 - Os animais de médio e grande porte encontrados nas ruas, praças, estradas ou caminhos públicos serão recolhidos ao depósito da municipalidade.
 
§1º - O animal recolhido poderá ser retirado dentro do prazo máximo de 5 (cinco) dias, mediante pagamento da multa e das taxas devidas.
 
§2º - Não sendo retirado o animal nesse prazo, caberá à Prefeitura dar-lhe uma destinação, que poderá ser:
a) Doação, preferencialmente ao pequeno e médio produtor rural;
b) Venda em hasta pública, na forma da Lei.
 
§3º - Os serviços de apreensão e depósito dos animais recolhidos poderão ser realizados diretamente pelo Município de Muriaé ou, indiretamente, por pessoa física ou jurídica, mediante a celebração de convênio ou contrato administrativo.
 
§4º - No caso de doação, o interessado deverá assinar um Termo de Compromisso, de modelo próprio da Prefeitura, declarando estar ciente sobre as leis de proteção e bem estar animal e de fiscalização dos órgãos municipais.
 
Art. 393 – É expressamente proibido, a qualquer pessoa, maltratar os animais ou praticar atos de crueldade contra os mesmos, tais como:
 
I – fazê-lo trabalhar doentes, feridos ou aleijados;
 
II – abandoná-los em vias e logradouros públicos;
 
III – mantê-lo em lugares inadequados, sem água, ar, luz e alimentos;
 
IV – ter animais destinados à venda em locais que não reúnam as condições de higiene, alimentação e comodidade adequada.
 
 
LEI 9.605/98 - LEI DE CRIMES AMBIENTAIS
Seção I - Dos Crimes contra a Fauna
Art. 32 - Praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos:
Pena - detenção, de três meses a um ano, e multa.
Categoria: Animais, Opinião
Comentários (0) e Compartilhar

Adolescentes dos CRAS recebem orientações sobre gravidez na adolescência

Publicado em 19/02/2019 às 16h19

Eventos aconteceram nos quatro CRAS do município com objetivo de explicar sobre riscos da gravidez precoce e métodos contraceptivos

Crianças e adolescentes do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV) dos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) de Muriaé foram orientados sobre medidas preventivas e educativas que contribuam para a redução da incidência da gravidez na adolescência.

As ações nos dispositivos da assistência social da cidade estão inseridas na Semana Nacional de Prevenção da Gravidez na Adolescência, desenvolvida em nível nacional pelas secretarias de Assistência Social, de Promoção do Desenvolvimento Humano e de Renda de Cidadania acerca do tema.

No dia 12 deste mês, o CRAS Vermelho contou com a mediação dos profissionais do próprio serviço para refletirem sobre a temática.

Na última sexta-feira (15), foi a vez do público infantojuvenil dos CRAS São Joaquim e Aeroporto receber orientações sobre o tema com as equipes das UBS’s dos respectivos bairros.

Na manhã de terça-feira (19), estudantes do 5° período do Curso de Medicina do Centro Universitário Unifaminas e a enfermeira responsável pela Unidade Básica de Saúde (UBS) do Santa Terezinha explicaram às crianças e adolescentes do CRAS sobre riscos da gravidez precoce e a importância do uso de métodos contraceptivos, além de informações referentes às infecções sexualmente transmissíveis, as IST’s.

Categoria: Opinião, Saúde
Comentários (0) e Compartilhar

Heroína que salvou motorista de caminhão ganha tratamento contra tumor

Publicado em 14/02/2019 às 09h30

Leiliane ganhou um tratamento para curar um tumor no cérebro.

A vendedora Leiliane foi consagrada como heroína essa semana. Ela salvou o motorista do caminhão envolvido no acidente com o helicóptero onde estava o jornalista Ricardo Boechat.

A Mulher Maravilha da vida real: tanto que o ilustrador Angelo France fez uma ilustração de Leiliane arrancando o motorista da cabine do caminhão com a roupa da super-heroína. Que imagem!

O que muita gente não imaginava é que Leiliane está com a saúde comprometida: foi diagnosticada com um tumor no cérebro em novembro de 2018. Felizmente, após o Balanço Geral (Record) apresentar sua história, ela conseguiu o tratamento que precisa para se curar.

Leiliane vai ser ajudada por uma ONG que ajuda pacientes com a mesma doença que ela tem. Nossa Mulher Maravilha receberá todo o apoio necessário!

Assista à reportagem do Balanço Geral:

 

Fonte: Razões para Acreditar

 

Categoria: Opinião
Comentários (0) e Compartilhar

Males físicos e psicológicos podem atingir sobreviventes e moradores de Brumadinho

Publicado em 06/02/2019 às 15h39

Contaminação dos rejeitos pode afetar a saúde de sobreviventes e moradores como ocorreu em Mariana. São doenças variadas, como problemas respiratórios, infecciosos e mentais

Como se não bastasse toda a dor da perda, os atingidos pela tragédia do rompimento da barragem da Mina Córrego do Feijão, em Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, terão de lidar com problemas de saúde e doenças das mais variadas, físicas e psíquicas. O impacto da contaminação dos rejeitos sobre a população acarretará mazelas respiratórias, intoxicações, afecções de pele, doenças mentais e comportamentais, doenças infecciosas e muito mais. Enfermidades que os moradores e sobreviventes do desastre de Mariana enfrentam desde novembro de 2015.
Evangelina da Motta Pacheco Alves de Araújo Vormittag, médica patologista clínica e microbiologista com doutorado em patologia pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), especialista em gestão de sustentabilidade pela Faculdade de Administração da Fundação Getulio Vargas (FGV) e em gestão de políticas em saúde informadas por evidências pelo Ministério de Saúde e Hospital Sírio-Libanês, alerta que “os efeitos da saúde vão além de doença, as consequências são irreparáveis”.

Idealizadora e diretora do Instituto Saúde e Sustentabilidade (ISS) em março de 2017, Evangelina foi uma das autoras do estudo “Avaliação dos riscos em saúde da população afetada pelo desastre de Mariana”, a partir de iniciativa da sociedade civil com gestão de recursos do Greenpeace. O foco dos pesquisadores foi o município de Barra Longa, o segundo alcançado pela lama tóxica da Barragem do Fundão, cuja população representa uma das mais expostas aos riscos da degradação ambiental. O estudo teve como objetivo identificar a saúde física, mental e social, além do atendimento das suas necessidades. Foram 507 entrevistas com os moradores residentes nas áreas urbana e rural, dos quais 37% confirmaram saúde pior do que antes do desastre.

Entre os problemas de saúde relatados, 40,5% são respiratórios, 15,8% doenças de pele e tecido subcutâneo, 11% transtornos mentais e comportamentais, 6,8% doenças infecciosas, 6,3% doenças do olhos e 3,1% problemas do aparelho digestório. Outras enfermidades, 16,5%. Em relação às crianças de até 13 anos, 60% queixaram de doenças respiratórias.
A saúde dos atingidos pelo desastre de barragem está comprometida de diversas formas e para o resto da vida. Terão de lidar com vetores de doenças como dengue, chikungunya, zika vírus, esquistossomose, Chagas, leishmaniose e problemas com animais peçonhentos deslocados do seu habitat. Em Brumadinho, já foi confirmada a contaminação do Rio Paraopeba pelo Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam) em conjunto com a Agência Nacional de Águas (ANA), o Serviço Geológico do Brasil (CPRM) e a Copasa. Foram verificadas concentrações de chumbo e mercúrio 21 vezes maior do que o limite permitido pelas normas ambientais. Também foram constatadas a presença no manancial de outros metais, como níquel, cádmio e zinco, acima dos valores que podem ser tolerados, apresentando riscos à saúde humana e animal”.

Evangelina Vormittag alerta que para tratar as pessoas afetadas a medida esperada é afastá-las do local. Para a médica, “em Brumadinho, a primeira atuação deve ser assistência à saúde”. “A omissão, vivida em Barra Longa, é desesperadora e não pode se repetir. É preciso que saibam que o adoecimento tem fases. A primeira, que dura de dias a um mês, a que vive Brumadinho agora, é a de lesões, acidentes, fraturas e mortes. A segunda, de dois a seis meses, chamada de recuperação, é a das doenças infecciosas, crônicas, pressão alta, descontrole do diabetes, doenças psicológicas e mentais, o acúmulo de lixo com a proliferação do mosquito. E a última fase, a da reconstrução, é a da intoxicação (gravíssima), derrame cerebral, que pode durar anos e piorar.” Ela lembra os desastres de Chernobil, ocorrido em 1986, na Ucrânia, que na época fazia parte da então União Soviética; e Fukushima, no Japão, em 2011. Com consequências para a saúde dos afetados até hoje.



DISTÚRBIOS PÓS-TRAUMÁTICOS 

A médica patologista clínica alerta que “o desastre em Brumadinho não é natural, é tecnológico, ou seja, há um culpado”. “Nesse caso, o risco é que a comunidade não se organiza bem e as decisões são morosas. Quando o desastre é químico, envolve toxicidade, as pessoas ficam inseguras, estigmatizadas, receosas e a saúde mental é a mais afetada, há maior propensão dos distúrbios pós-traumáticos e aumento do risco de suicídio”, explica. Por isso, Evangelina Vormittag avisa, é preciso que “imediatamente ocorra a assistência, o reparo e o resgate dessa população com acesso a psicólogos e assistentes sociais. Nesse primeiro momento, não é necessário médico psiquiatra.”

Fonte: www.em.com.br

 

 

Categoria: Ciência, Meio Ambiente, Saúde
Comentários (0) e Compartilhar

O que é tricomoníase? Quais são os sintomas e como pega?

Publicado em 06/02/2019 às 15h24

O que é tricomoníase? A tricomoníase é uma infecção causada pelo protozoário Trichomonas vaginalis que ataca o colo do útero, a vagina e a uretra. Acredita-se que 80% das pessoas com a doença não tenham sintomas. Contudo, quando ocorrem os primeiros sinais são coceira e ardência vaginal.

Embora poucos saibam, tricomoníase é uma doença sexualmente transmissível. Aliás, mesmo que, normalmente seja a mulher a interessada em saber o que é tricomoníase, os homens também podem desenvolver a infecção. Nas mulheres, o organismo causa uma infecção na vagina , na uretra ou em ambos. No entanto, nos homens, a infecção só acontece na uretra. Uma vez que a infecção começa, ela pode ser facilmente transmitida através do contato genital desprotegido.

Assim, sua transmissão ocorre por meio das relações sexuais ou contato íntimo com secreções de uma pessoa contaminada. Pode ser transmitida por mulher/homem e mulher/mulher. Em geral, afeta mais as mulheres. No entanto, é necessário que o companheiro (a) também faça o tratamento recomendado pelo médico.

 Uma publicação da Johns Hopkins Medicine [2] mostrou que mulheres com mais de 40 anos têm o dobro de chances de serem infectadas. Contudo, o grupo de risco são pessoas que:

  • Tem múltiplos parceiros sexuais
  • Tem uma história de outras DSTs
  • Teve infecções prévias por tricomoníase
  • Faz sexo sem camisinha

Atenção: Além de saber o que é tricomoníase, é importante entender que a doença não se espalha através do contato físico normal, como abraçar, beijar, compartilhar pratos ou sentar-se em um assento de toalete. Além disso, não pode ser transmitido através de contato sexual que não envolva os genitais.

 QUAIS SÃO OS SINTOMAS DA TRICOMONÍASE?

Estranhamente, a tricomoníase, geralmente, não apresenta sintomas. Uma publicação da Clinical Infectious Diseases [1] revelou que 85% das mulheres que pegam o protozoário não apresentam qualquer sintoma. Contudo, quando os sintomas ocorrem, eles geralmente começam de cinco a 28 dias depois da infecção. Mesmo assim, em algumas pessoas o processo pode levar muito mais tempo. Os sintomas mais comuns entre as mulheres são:

  • Corrimento amarelo, mas que também pode ser branco, cinza ou esverdeado, e geralmente espumoso
  • Corrimento com mau cheiro
  • Sangramento vaginal fraco
  • Coceira e ardência vaginal
  • Genitais vermelhos e inchados
  • Desejo frequente de urinar e dor durante a micção
  • Dor na relação sexual

Para os homens, os sintomas são poucos, porém, intensos:

  • corrimento na uretra
  • Queimação enquanto urina ou após ejacular
  • vontade de urinar com frequência

POR QUE OCORRE COCEIRA E ARDÊNCIA NA VAGINA?

Trichomonas vaginalis é um parasita que só infecta o ser humano; costuma viver na vagina ou na uretra, mas pode também ser encontrado em outras partes do sistema geniturinário. Por viver principalmente na parte interna da vagina, essa doença causa microlesões e dores, e pode até levar ao desenvolvimento de outras DSTs. Um dos primeiros sintomas da tricomoníase é a coceira na vagina e a ardência ao urinar. Se não for tratada a mulher poderá ter um corrimento amarelo ou esverdeado e corrimento com mau cheiro. Além disso, dores durante o sexo, culminado com dor na barriga.

Nos homens a tricomoníase raramente apresentam sintomas e geralmente, eles nem sabem que estão infectados. Entretanto, em casos que a infecção alcança um nível elevado, podem passar a sentir irritação na parte interna do pênis, um leve corrimento e ardor ao urinar ou ejacular.

COMO É FEITO O DIAGNÓSTICO?

O diagnóstico para coceira vaginal consiste em um exame pélvico mostra manchas vermelhas na parede vaginal ou colo do útero. Em seguida, utiliza-se o exame do conteúdo vaginal ao microscópio, de fácil interpretação e realização. Colhe-se uma gota do corrimento, coloca-se sobre a lâmina com uma gota de solução fisiológica. Em seguida, observa-se ao microscópio, buscando o parasita flagelado. Vários deles, decerto, estarão movimentando-se ativamente entre as células epiteliais e os leucócitos. O achado de T. vaginalis impõe o tratamento da pessoa e também do seu parceiro ou parceira sexual, já que se trata de uma DST. Além disso, o médico pode pedir exames de sangue, como hemograma completo e exame de urina. A coceira na vagina e a ardência ao urinar só irá parar com o tratamento.

COMO A TRICOMONÍASE É TRATADA?

A tricomoníase pode ser curada com antibióticos. O médico pode recomendar metronidazol (Flagyl) ou tinidazol (Tindamax). É importante, contudo, não beber álcool nas primeiras 24 horas após tomar metronidazol ou nas primeiras 72 horas após tomar tinidazol. Pode causar náuseas e vômitos graves.

Outra atitude importante é cuidar para que seus parceiros sexuais examinados e que tomem a medicação. Não ter os sintomas não significa que eles não tenham a infecção. Ao mesmo tempo, é preciso evitar contato sexual por uma semana após todos os parceiros terem sido tratados. Logo no início do tratamento a coceira na vagina e o corrimento com mau cheiro devem parar completamente.

ARTIGOS MÉDICO-CIENTÍFICOS: CLINICAL INFECTIOUS DISEASES [1]  JOHNS HOPKINS MEDICINE [2]

Atenção: O material neste site é fornecido apenas para fins educacionais, e não deve ser usado para conselhos médicos, diagnósticos ou tratamentos. 

Fonte: Diário de Biologia

 

Categoria: Ciência, Saúde
Comentários (0) e Compartilhar

Sintomas da menopausa precoce: tudo sobre menopausa antes dos 45 anos

Publicado em 04/02/2019 às 16h18

Os sintomas da menopausa precoce são basicamente os mesmos que a menopausa em idade normal. À medida que as mulheres envelhecem, o organismo produz menos estrogênio e progesterona, os principais hormônios envolvidos na reprodução feminina. Então, quando esses hormônios atingem um nível baixo o suficiente, a mulher irá interromper o ciclo menstrual.

A menopausa começa, oficialmente, 12 meses após a última menstruação. Assim, para a maioria das mulheres a menopausa começa entre 45 e 55 anos. Contudo, em média a idade é 51 anos. Mas para algumas mulheres, a menopausa pode chegar cedo.

Sendo assim, os médicos consideram que quando a mulher deixa de menstruar entre 35 e 45 anos, pode estar passando pelos sintomas da menopausa precoce.

MENOPAUSA PRECOCE OU PREMATURA?

Há uma grande dúvida, sobretudo das mulheres, entre menopausa precoce  e prematura. A definição do estudo publicado na Annals Of Medicine Health Science Research [1] a menopausa precoce é a que começa entre as idades de 40 e 45 anos. Ao mesmo tempo, a menopausa prematura começa ainda mais cedo, antes dos 40 anos e atinge menos de 1% das mulheres. Por isso, muitos médicos agora se referem à menopausa prematura como “insuficiência ovariana prematura” ou “insuficiência ovariana primária”. Esses termos, decerto, reduzem parte do estigma para mulheres mais jovens que passam pela menopausa.

SINTOMAS DA MENOPAUSA PRECOCE

Como já dito, os sintomas da menopausa precoce são semelhantes à menopausa normal, na qual podemos citar:

  • menstruação atrasada ou irregular
  • ausência de menstruação ( amenorreia )
  • ondas de calor
  • suor noturno
  • secura vaginal
  • mau humor e lapsos de memória
  • por fim, diminuição do desejo sexual

Assim, quando a mulher tem a menstruação atrasada por três ou mais meses, deve consultar seu médico. Existem na verdade, mais motivos para atrasar ou parar a menstruação, como por exemplo:

  • estresse
  • gravidez
  • doença
  • obesidade
  • mudança na dieta ou exercício
  • resposta a um medicamento ou anticoncepcional
  • por fim, distúrbios na tireoide

Os baixos níveis de estrogênio associados a períodos perdidos podem levar à perda óssea. Por isso, é importante acompanhar sempre os períodos para saber quando estão regulares ou não. De qualquer forma, o tratamento precoce pode ajudar a prevenir danos nos ossos.

O QUE CAUSA MENOPAUSA PRECOCE?

A menopausa precoce ou prematura pode ocorrer por folículo danificado ou com disfunção. Quando isso ocorre, os óvulos não amadurecem ou não são liberados, fazendo com que a menstruação pare. Contudo, esses processos são naturais quando ocorrem na idade acima dos 45 anos. Se ocorrerem precocemente, um especialista deve investigar as causas, por exemplo:

  • Idade. Os riscos da menopausa precoce aumentam após os 35 anos.
  • História de família. Quando há mulheres na família que têm uma história de menopausa precoce ou prematura.
  • Distúrbios genéticos. Ter cromossomos ou genes anormais, como ocorre na síndrome de Turner ou na síndrome do X-frágil .
  • A exposição a medicamentos quimioterápicos e radioterapia no tratamento de câncer.
  • Condições auto-imunes. Quando o sistema imunológico ataca erroneamente os órgãos produtores de hormônios.
  • Infecção. Ter certas infecções, como o vírus da caxumba.
  • Procedimentos para remover os ovários  ou útero podem causar menopausa precoce.

COMO É O DIAGNÓSTICO?

  • O médico perguntará sobre sua história de exposição a toxinas, como quimioterapia e radioterapia
  • Realizará um exame físico (incluindo um exame pélvico)
  • Realizará um teste de gravidez
  • Exames de sangue para certos hormônios, incluindo: hormônio folículo-estimulante (FSH) , estradiol , prolactina e hormônio anti-Mülleriano (AMH)
  • Por fim, pode pedir um teste de DNA para ver se há genes causando os sintomas da menopausa precoce.

QUAIS SÃO AS COMPLICAÇÕES?

Os sintomas da menopausa precoce podem aumentar a chance de desenvolver outras condições. Esses incluem:

  • Infertilidade. A maioria das mulheres que passam pela menopausa precoce ou prematura não consegue engravidar.
  • Estresse, ansiedade e depressão. Essas mudanças de humor geralmente são sintomas da menopausa precoce.
  • Perda óssea (osteoporose ): A osteoporose é causada por baixos níveis de estrogênio e deixa maiores riscos de fraturas ósseas.
  • Doença cardíaca. A doença cardíaca também pode resultar de baixos níveis de estrogênio.

QUAIS SÃO AS OPÇÕES DE TRATAMENTO?

Geralmente, os médicos decidem o tratamento baseado nos sintomas da menopausa precoce de cada mulher, individualmente. Assim, o tratamento de uma, não necessariamente, o mesmo que outra. Alguns tratamentos comuns para a menopausa precoce são:

TERAPIA DE REPOSIÇÃO HORMONAL

O estrogênio e progesterona suplementar podem ajudar a substituir alguns dos hormônios reprodutivos que o corpo não é mais capaz de produzir. Além disso, esse tratamento também ajuda a prevenir a perda óssea e apoia a saúde do coração.

CÁLCIO SUPLEMENTAR E VITAMINA D

Cálcio e vitamina D suplementares podem ajudar a prevenir a osteoporose naquelas mulheres que não estão recebendo o suficiente desses nutrientes da alimentação. Assim, mulheres com idades entre 19 e 50 anos devem receber 1.000 miligramas de cálcio por dia através de alimentos ou suplementos. AO mesmo tempo, mulheres com mais de 51 anos devem receber 1.200 miligramas por dia.

Uma publicação da National Institutes of Health  [2], a quantidade diária recomendada de vitamina D é de cerca de 600-800 UI por dia através de alimentos ou suplementos.

ESTRATÉGIAS PARA LIDAR COM A INFERTILIDADE

Algumas mulheres com menopausa prematura ainda podem engravidar sem qualquer tratamento. Assim, quando a mulher quer ter filhos e não conseguem por estarem com sintomas da menopausa precoce, devem considerar a fertilização in vitro com o uso de óvulos de doadores ou a adoção.

ARTIGOS MÉDICO-CIENTÍFICOS: ANNALS OF MEDICINE HEALTH SCIENCE RESEARCH [1]  NATIONAL INSTITUTES OF HEALTH  [2]

Fonte: Diário de Biologia

Categoria: Ciência, Saúde
Comentários (0) e Compartilhar

Como fazer aromaterapia para diminuir a ansiedade

Publicado em 04/02/2019 às 16h09

A aromaterapia é uma das formas naturais mais eficazes para reduzir o estresse e a ansiedade, mesmo em pessoas que sofrem com transtorno de ansiedade. No entanto, a aromaterapia também pode ser usada no dia-a-dia antes de situações mais estressantes, como prestar uma prova, ir em uma entrevista de emprego ou fazer um discurso importante.

Já nos casos mais graves, em que a ansiedade surge frequentemente sem razão aparente, além da aromaterapia também é necessário consultar um psicólogo para identificar o problema e iniciar o tratamento adequado. 

Como usar o óleo essencial

A melhor via para utilização do óleo essencial é a inalação, pois dessa forma as moléculas do óleo conseguem chegar rapidamente até ao cérebro, causando alterações rápidas nas emoções. Para fazer corretamente essa inalação é aconselhado respirar o óleo essencial diretamente do frasco.

Assim, deve-se abrir a tampa, encostar o frasco perto do nariz e inspirar profundamente, depois manter o ar dentro dos pulmões por 2 a 3 segundos e depois liberar novamente o ar. Inicialmente, deve-se fazer 3 inalações seguidas várias vezes ao dia, mas ao longo do tempo deve-se ir aumentando para 5 ou 7 inalações.

O ideal é sempre utilizar óleos essenciais biológicos, pois têm menos risco de conter toxinas ou qualquer outro tipo de contaminantes.

5 melhores óleos essenciais para ansiedade

Os óleos essenciais podem ser inalados diretamente do frasco, usados num aromatizador ou aplicados na pele. Além disso, alguns tipos de óleos também podem ser ingeridos, no entanto, essa prática só deve ser feita com a indicação de um naturopata, já que pode causar queimaduras no esôfago se não for feita com os óleos adequados.

1. Alfazema

Este é provavelmente o óleo essencial mais conhecido e utilizado para tratar a ansiedade. Isto porque alguns estudos identificaram que o óleo essencial de alfazema, ou lavanda, como também é conhecida, é capaz de reduzir os níveis de cortisol, um hormônio responsável pela sensação de estresse.

Além disso, tem ação protetora do sistema cardiovascular e ajuda a restaurar a paz interior, diminuindo a irritabilidade, ataques de pânico e a inquietação.

2. Bergamota

A bergamota faz parte da família do cítricos e, por isso, possui um aroma revitalizante que reduz a pressão arterial e a frequência cardíaca, balanceando a atividade nervosa e diminuindo o estresse. Em alguns estudos, a bergamota demonstrou ser capaz de diminuir os níveis de glicocorticoides no organismo, hormônios que são responsáveis pelo aumento da ansiedade e do estresse.

3. Nardo

O óleo essencial de Nardo, conhecido cientificamente como Nardostachys jatamansi, tem excelentes propriedades relaxantes, ansiolíticas e antidepressivas que permitem aliviar casos de ansiedade persistente e variações emocionais frequentes. É um tipo de óleo que ajuda a libertas as causas mais profundas de ansiedade e que cria uma sensação de paz interior.

4. Ilangue-ilangue

O Ilangue-ilangue é uma planta que possui um aroma revitalizante que, além de acalmar e melhorar a disposição, estimula sentimentos de coragem e otimismo. Este óleo essencial, quando utilizado frequentemente também reduz a ação do cortisol no corpo.

5. Patchouli

O patchouli é o óleo essencial ideal para pessoas que sofrem com excesso de trabalho e ansiedade crônica, pois tem ação calmante, ansiolítica e antidepressiva.

Onde comprar os óleos essenciais

Os óleos essenciais normalmente podem ser comprados em lojas de produtos naturais e, até, em algumas drogarias. No entanto, sempre que possível é aconselhado consultar o vendedor para pedir óleos essenciais de origem biológica que, embora sejam mais caros, trazem menos riscos para a saúde, por não possuírem toxinas que possam ser inaladas.

Além disso, o preço de cada óleo essencial pode variar bastante de acordo com a planta que é utilizada na sua preparação. Algumas marcas de óleos essenciais que têm produtos biológicos são a Florame ou Folha D'Água, por exemplo.

Fonte: Tua Saúde

Categoria: Ciência, Saúde
Comentários (0) e Compartilhar

O que é água boricada, para que serve e como usar?

Publicado em 01/02/2019 às 15h51

O QUE É ÁGUA BORICADA?

Saber o que é água boricada é uma dúvida recorrente, uma vez que, há muitos sites oferecendo receitas com esse produto. Trata-se, então, de uma solução preparada com 3% de Ácido bórico (H3BO3), que vem do elemento químico boro. Algumas preparações de ácido bórico podem causar irritação da pele e podem até mesmo ser tóxicas se ingeridas.

Sendo assim, pode parecer uma substância química perigosa, mas o ácido bórico possui uma gama de usos tanto na área de saúde tratando infecções fúngicas, como em preparações em produtos caseiros de limpeza. Você pode encontrar ácido bórico em:

  • Produtos químicos de revelação fotográfica
  • Produtos para controle de baratas
  • Alguns produtos para lavagem dos olhos

 Perigo no manuseio do ácido bórico: O ácido bórico é um pó branco e cristalino, que é um componente de certos minerais e águas vulcânicas ou fontes termais. Contudo, seu manuseio deve ser evitado, sobretudo sem equipamentos de proteção. Embora o composto seja popular, ele é tóxico se ingerido. Por isso, é importante evitá-lo em casas com animais de estimação e crianças.

PARA QUE SERVE ÁGUA BORICADA?

Além de entender o que é água boricada, muita gente quer saber para que serve essa solução. A água boricada é um produto do ácido bórico. Uma preparação muito fraca com pouquíssimo do ácido, apenas 3%, às vezes menos. Então, esse componente confere propriedades antissépticas para uso tópico. Contudo, a água boricada não deve ser ingerida em hipótese alguma, pois pode causar intoxicação.

Mesmo assim, a água boricada é indicada para uma série de problemas como fungos vaginais e limpeza ocular. É importante que sua leitura não pare aqui e que todas as considerações sejam levadas em conta.

1- MICOSE VAGINAL

O ácido bórico está presente em algumas fórmulas de medicamentos intravaginais contra fungo. Um estudo publicado no Disease Control and Prevention [1] analisou os tratamentos disponíveis para doenças sexualmente transmissíveis. Os  autores constataram que as cápsula de gelatina intravaginais contendo ácido bórico eliminaram o fungo Candida albicans, causador da candidíase em 70% dos casos.

Ao mesmo tempo, uma publicação na revista Diabetes Care [2] descobriu que os supositórios vaginais contendo ácido bórico eram mais eficazes contra os sintomas da candidíase  em mulheres diabéticas do que a medicação oral comum.

Aliás, o banho de assento Lucretin [bula] da Farmasa, por exemplo, contém ácido bórico como principal princípio ativo. Além de explicar o que é água boricada e ácido bórico, a bula indica o uso para vulvovaginites, tricomoníase, candidíase, leucorreias e pós-operatório ginecológico.

Embora não tenhamos encontrado um estudo científico comprovando a eficácia, ao que parece fazer banho de assento com água boricada pode funcionar bem contra micose vaginal.

2- LAVAGEM DOS OLHOS

Um estudo publicado no periódico Clinics [3] por médicos brasileiros revelou que as lavagens oculares com água boricada chegam a 53% dos tratamentos caseiros relatados pelos pacientes. De fato, diversos medicamentos para limpeza ocular listam a presença de ácido bórico na sua fórmula, como o Higicler [bula] e o Colírio Legrand [bula].

Dessa forma, lavar os olhos com água boricada tem sido a preferência de muitas pessoas. Acredita-se que as propriedades antibacterianas e antifúngicas são suaves. Isso significa que ele pode ajudar a retardar ou impedir o crescimento de bactérias ou fungos no olho, sem causar problemas. Ao mesmo tempo, pode ser usado como um agente de ajuste de tonicidade para tornar as lavagens oculares mais compatíveis com o ambiente químico do olho.

Mas, nem tudo são flores. Uma publicação no Arquivos Brasileiros de Oftalmonologia [4] revelou que a aplicação incorreta da água boricada pode agravar quadros infecciosos. Os autores dizem que os frascos de água boricada podem ser veículos de transferência de micro-organismos patógenos para os olhos.

No estudo, as tampas de frascos que continham água boricada tinham bactérias da espécie Staphylococus aureus. Ao mesmo tempo, na conjuntiva do paciente foi encontrada a bactéria Morganella morganii. Ao mesmo tempo, o uso de lavagens oculares com água boricada pode ter alguns efeitos colaterais negativos, que podem incluir:

  • alterações na visão, incluindo visão turva
  • irritação e dor nos olhos
  • olhos vermelhos
  • feridas ou em torno dos olhos

4- PARONÍQUIA

Uma publicação da The Oncologist [5] estudou tratamentos alternativos para pacientes de câncer que estavam em processo de quimioterapia e radioterapia. Para paroníquia, uma infecção da pele que rodeia a unha, habitualmente causada pela levedura Candida albicans e, mais raramente, por bactérias, os autores recomendaram o uso de água boricada para lavagem do local.

OUTROS USOS DO ÁCIDO BÓRICO

O ácido bórico tem vários usos domésticos, médicos e industriais. Dessa forma, pode aparecer em produtos que vão desde garrafas de amostras de urina a tratamentos com inseticidas.

PISCINAS

Os proprietários de piscinas usam ácido bórico para manutenção. A substância, a saber, pode ajudar a estabilizar o nível de pH da água e evitar problemas com algas. Ao mesmo tempo sua utilização a quantidade de cloro na piscina. O composto pode ajudar a manter a água limpa e brilhante.

FRASCOS DE URINA

Os frascos de amostras de urina podem conter ácido bórico como conservante. O objetivo é manter a qualidade da urina até o momento da análise em laboratório. Dessa forma, evitará a ação precoce de fungos e bactérias. Inclusive, pesquisas mostram que a adição dessa substância ajuda a diminuir os resultados falso-positivos. Também preserva os glóbulos brancos na urina para análise.

MATA BARATAS

Uma das formas mais conhecidas de acabar com infestação de baratas é, justamente, usando o ácido bórico. Em uma publicação do College Of Agriculture, Food and Enviroment [6], o autor revelou que para o controle de baratas, o ácido bórico tende a ser mais eficaz. Baratas sucumbem ao ácido bórico depois de rastejar sobre superfícies tratadas. As minúsculas partículas de pó aderem ao corpo do inseto e são ingeridas quando a barata as preenche de suas pernas e antenas. O ácido bórico retém sua potência quase indefinidamente desde que o depósito de poeira permaneça seco.

Atenção: Nunca use ácido bórico internamente pela boca, em feridas abertas ou em crianças. A ingestão de ácido bórico pode ser fatal. Agora que você sabe o que é água boricada, se ingerir o produto, procure atendimento médico de emergência.

ARTIGOS MÉDICO-CIENTÍFICOS: DISEASE CONTROL AND PREVENTION [ 1 ] DIABETES CARE [ 2 ] CLINICS [ 3 ] ARQUIVOS BRASILEIROS DE OFTALMONOLOGIA [ 4 ] THE ONCOLOGIST [ 5 ]  COLLEGE OF AGRICULTURE, FOOD AND ENVIROMENT [ 6 

 

Fonte: Diário de Biologia

Categoria: Ciência
Comentários (0) e Compartilhar

Durante as férias, garoto arrecada materiais escolares para crianças carentes

Publicado em 30/01/2019 às 15h52

Ele tem apenas 9 anos, mas sabe como poucos o verdadeiro significado de ser empático. Nascido em João Pinheiro, município localizado no noroeste de Minas, Othávyo Teixeira organizou uma campanha de arrecadação de materiais escolares pelo segundo ano consecutivo.

Porquê? “Eu me coloquei no lugar das crianças que não têm e fiquei triste”, diz o garoto.

O destino das doações serão os alunos da rede municipal de ensino, a começar pelos mais necessitados.

Há pouco mais de uma semana, Othávyo deu uma entrevista para um jornal local contando mais à respeito de sua iniciativa, sempre com respostas rápidas e objetivas.

“O meu dindo sempre ajuda os outros, às vezes ele fica sem nada, mas feliz por ter ajudado”, diz bem-humorada sua mãe, Carla Teixeira, ao lado da tia, Laura Teixeira. Elas contam que dão todo o apoio financeiro e moral que o garoto precisa, mas afirmam que todo o projeto é de autoria “exclusiva” de Othávyo.

Após o período de campanha, no qual pede doações para vizinhos, colegas e familiares, eles saem no último dia para recolher os donativos – mãe e filho. Já a tia Laura ajuda na gravação dos vídeos, que são o motor de divulgação da campanha no Facebook.

De férias, Othávyo divide seu tempo livre entre trabalhar na campanha de doação de materiais escolares e seu celular, onde adora jogar Free Fire (game-mobile de ação e aventura). Além disso, diz gostar de andar de bicicleta na rua de sua casa ou conversar com seus amigos. “Ele não para um minuto”, brinca a mãe.

Dito isso, comunicativo do jeito que é, Othávyo presta atenção em todos à sua volta e não deixa escapar ninguém. Como conta sua família, a campanha começou porque um colega de sala do garoto iniciou o ano letivo passado sem material escolar.

A ausência de material do colega não passou despercebido dos olhos de Othávyo, que se organizou para doar-lhe os materiais necessários. Nessa época, eles tinham apenas 8 anos.

 

Durante o inverno, ele também se mobilizou para juntar roupas no tradicional bazar de agasalhos promovidos pela comunidade local em João Pinheiro.

Carla conta que o filho faz tudo praticamente sozinho durante as campanhas. Sobre suas roupas, Othávyo diz que “tem para usar, mas um monte de gente aqui fica com frio”, se dispondo a doá-las.

Talvez essa seja a grande diferença – enquanto muitos lamentam as dificuldades enfrentadas pelos outros e não fazem nada para mudar a situação, este garoto de apenas 9 anos, com a pouca bagagem que carrega, mas com o olhar atento, sempre tenta fazer algo para melhorar a vida de seu próximo, nem que seja só um pouquinho.

Othávyo inspira uma reflexão sobre nossas próprias ações. Que tal ajudar também?

COLABORE — Para a campanha, o menino está arrecadando todo o tipo de material escolar — caderno, lápis, borracha, cola, tesoura, régua, lápis de cor, apontador, etc. As doações podem ser entregues na Rua Israel Azambuja, n° 79 ou entrando em contato com Othávyo Teixeira pelo Faoebook que ele mesmo vai buscar.

META — Em 2018, 40 kits foram entregues nas escolas Dois de Maio, Manoel Lucas Prisco e Avelino de
Assis Brasil. Agora a ideia é aumentar o número de contemplados e chegar aos 50. Para isso, o importante é mobilizar a população para ajudar na causa. Empresas parceiras também são muito bem-vindas.

ENTREGA — Os kits para 2019 vão ser entregues aos diretores das escolas do município pelo Othávyo.
Segundo ele mesmo informou, a ideia é que nos primeiros dias desse ano letivo os alunos já estejam
recebendo seus novos materiais. “Eu mesmo queria entregar para cada um, mas como fica mais difícil, eu vou entregar de novo para a direção”, afirmou.

Fonte: Razões para Acreditar

Categoria: Opinião
Comentários (0) e Compartilhar

left show tsN fwR fsN|left fwR tsN|left show fwR tsN|bnull|||login news c05|fsN fwR normalcase c05 tsN|c05|login news fwR normalcase c05|tsN fwR c05 normalcase|normalcase fwR c05|content-inner||