Biologando

Sintomas de Refluxo em adultos e bebês

Publicado em 01/10/2018 às 08h15

Os sintomas de refluxo gastroesofágico, que é o retorno do conteúdo do estômago para o esôfago em direção à laringe e boca, é uma doença que atinge um grande número de pessoas e pode levar ao câncer se não for bem tratado. Os principais sintomas incluem:

  • Queimação no estômago que pode subir até à garganta;
  • Dor de estômago, na laringe e/ou faringe;
  • Sensação de peso no estômago;
  • Arroto;
  • Azia;
  • Indigestão;
  • Tosse frequente;
  • Dificuldade para engolir os alimentos;
  • Laringite;
  • Asma.

Os sintomas tendem a piorar quando dobra-se o corpo para baixo para pegar algo do chão, por exemplo, ou quando do indivíduo permanece na posição horizontal após a refeição, como ocorre na hora de dormir.

O refluxo constante pode provocar uma intensa inflamação na parede do esôfago, chamada de esofagite, que, se não for tratada corretamente, pode até levar ao câncer. 

Sintomas de refluxo em bebês

O refluxo em bebês também provoca retorno do conteúdo dos alimentos do estômago em direção à boca, por isso, alguns dos sinais e sintomas que podem indicar esta situação incluem:

  • Vômitos constantes;
  • Sono agitado;
  • Dificuldade para mamar e para ganhar peso;
  • Rouquidão devido à inflamação da laringe;
  • Otites de repetição.

Além disso, o bebê pode desenvolver otites de repetição, devido à inflamações frequentes das vias aéreas ou, até, pneumonia aspirativa, devido à entrada de alimentos nos pulmões. 

O que fazer se tiver refluxo

Em caso de suspeita de refluxo, é necessário procurar atendimento do médico clínico geral, gastroenterologista ou pediatra, que poderão avaliar os sintomas, o exame físico e, se necessário, solicitar exames como teste o pH gástrico ou endoscopia digestiva, por exemplo.

O tratamento é feito com medicamentos para bloquear a acidez do estômago, como Omeprazol ou Ranitidina Também é muito importante fazer alterações na dieta, evitando-se alimentos que facilitam o refluxo, como gorduras, frituras, molhos de tomate, hortelã e pimenta, além de ser indicado evitar refeições volumosas, bebidas alcoólicas ou deitar logo após comer. 

Fonte: Tua Saúde

 

 

 

 

 

Sintomas de refluxo em bebês

O refluxo em bebês também provoca retorno do conteúdo dos alimentos do estômago em direção à boca, por isso, alguns dos sinais e sintomas que podem indicar esta situação incluem:

  • Vômitos constantes;
  • Sono agitado;
  • Dificuldade para mamar e para ganhar peso;
  • Rouquidão devido à inflamação da laringe;
  • Otites de repetição.

Além disso, o bebê pode desenvolver otites de repetição, devido à inflamações frequentes das vias aéreas ou, até, pneumonia aspirativa, devido à entrada de alimentos nos pulmões. Para saber mais sobre os sintomas de refluxo infantil consulte: Refluxo em bebê.

O que fazer se tiver refluxo

Em caso de suspeita de refluxo, é necessário procurar atendimento do médico clínico geral, gastroenterologista ou pediatra, que poderão avaliar os sintomas, o exame físico e, se necessário, solicitar exames como teste o pH gástrico ou endoscopia digestiva, por exemplo.

O tratamento é feito com medicamentos para bloquear a acidez do estômago, como Omeprazol ou Ranitidina Também é muito importante fazer alterações na dieta, evitando-se alimentos que facilitam o refluxo, como gorduras, frituras, molhos de tomate, hortelã e pimenta, além de ser indicado evitar refeições volumosas, bebidas alcoólicas ou deitar logo após comer. 

Sintomas de refluxo em bebês

O refluxo em bebês também provoca retorno do conteúdo dos alimentos do estômago em direção à boca, por isso, alguns dos sinais e sintomas que podem indicar esta situação incluem:

  • Vômitos constantes;
  • Sono agitado;
  • Dificuldade para mamar e para ganhar peso;
  • Rouquidão devido à inflamação da laringe;
  • Otites de repetição.

Além disso, o bebê pode desenvolver otites de repetição, devido à inflamações frequentes das vias aéreas ou, até, pneumonia aspirativa, devido à entrada de alimentos nos pulmões. Para saber mais sobre os sintomas de refluxo infantil consulte: Refluxo em bebê.

O que fazer se tiver refluxo

Em caso de suspeita de refluxo, é necessário procurar atendimento do médico clínico geral, gastroenterologista ou pediatra, que poderão avaliar os sintomas, o exame físico e, se necessário, solicitar exames como teste o pH gástrico ou endoscopia digestiva, por exemplo.

O tratamento é feito com medicamentos para bloquear a acidez do estômago, como Omeprazol ou Ranitidina Também é muito importante fazer alterações na dieta, evitando-se alimentos que facilitam o refluxo, como gorduras, frituras, molhos de tomate, hortelã e pimenta, além de ser indicado evitar refeições volumosas, bebidas alcoólicas ou deitar logo após comer. 

Sintomas de refluxo em bebês

O refluxo em bebês também provoca retorno do conteúdo dos alimentos do estômago em direção à boca, por isso, alguns dos sinais e sintomas que podem indicar esta situação incluem:

  • Vômitos constantes;
  • Sono agitado;
  • Dificuldade para mamar e para ganhar peso;
  • Rouquidão devido à inflamação da laringe;
  • Otites de repetição.

Além disso, o bebê pode desenvolver otites de repetição, devido à inflamações frequentes das vias aéreas ou, até, pneumonia aspirativa, devido à entrada de alimentos nos pulmões. Para saber mais sobre os sintomas de refluxo infantil consulte: Refluxo em bebê.

O que fazer se tiver refluxo

Em caso de suspeita de refluxo, é necessário procurar atendimento do médico clínico geral, gastroenterologista ou pediatra, que poderão avaliar os sintomas, o exame físico e, se necessário, solicitar exames como teste o pH gástrico ou endoscopia digestiva, por exemplo.

O tratamento é feito com medicamentos para bloquear a acidez do estômago, como Omeprazol ou Ranitidina Também é muito importante fazer alterações na dieta, evitando-se alimentos que facilitam o refluxo, como gorduras, frituras, molhos de tomate, hortelã e pimenta, além de ser indicado evitar refeições volumosas, bebidas alcoólicas ou deitar logo após comer. 

Sintomas de refluxo em bebês

O refluxo em bebês também provoca retorno do conteúdo dos alimentos do estômago em direção à boca, por isso, alguns dos sinais e sintomas que podem indicar esta situação incluem:

  • Vômitos constantes;
  • Sono agitado;
  • Dificuldade para mamar e para ganhar peso;
  • Rouquidão devido à inflamação da laringe;
  • Otites de repetição.

Além disso, o bebê pode desenvolver otites de repetição, devido à inflamações frequentes das vias aéreas ou, até, pneumonia aspirativa, devido à entrada de alimentos nos pulmões. Para saber mais sobre os sintomas de refluxo infantil consulte: Refluxo em bebê.

O que fazer se tiver refluxo

Em caso de suspeita de refluxo, é necessário procurar atendimento do médico clínico geral, gastroenterologista ou pediatra, que poderão avaliar os sintomas, o exame físico e, se necessário, solicitar exames como teste o pH gástrico ou endoscopia digestiva, por exemplo.

O tratamento é feito com medicamentos para bloquear a acidez do estômago, como Omeprazol ou Ranitidina Também é muito importante fazer alterações na dieta, evitando-se alimentos que facilitam o refluxo, como gorduras, frituras, molhos de tomate, hortelã e pimenta, além de ser indicado evitar refeições volumosas, bebidas alcoólicas ou deitar logo após comer. 

Sintomas de refluxo em bebês

O refluxo em bebês também provoca retorno do conteúdo dos alimentos do estômago em direção à boca, por isso, alguns dos sinais e sintomas que podem indicar esta situação incluem:

  • Vômitos constantes;
  • Sono agitado;
  • Dificuldade para mamar e para ganhar peso;
  • Rouquidão devido à inflamação da laringe;
  • Otites de repetição.

Além disso, o bebê pode desenvolver otites de repetição, devido à inflamações frequentes das vias aéreas ou, até, pneumonia aspirativa, devido à entrada de alimentos nos pulmões. Para saber mais sobre os sintomas de refluxo infantil consulte: Refluxo em bebê.

O que fazer se tiver refluxo

Em caso de suspeita de refluxo, é necessário procurar atendimento do médico clínico geral, gastroenterologista ou pediatra, que poderão avaliar os sintomas, o exame físico e, se necessário, solicitar exames como teste o pH gástrico ou endoscopia digestiva, por exemplo.

O tratamento é feito com medicamentos para bloquear a acidez do estômago, como Omeprazol ou Ranitidina Também é muito importante fazer alterações na dieta, evitando-se alimentos que facilitam o refluxo, como gorduras, frituras, molhos de tomate, hortelã e pimenta, além de ser indicado evitar refeições volumosas, bebidas alcoólicas ou deitar logo após comer. 

Categoria: Saúde
Comentários (0) e Compartilhar

Policiais adotam cães famintos e aliviam tensão em delegacia

Publicado em 01/10/2018 às 08h07

Dois cachorrinhos estão aliviando a tensão e levando momentos de alegria a policiais e funcionários de uma delegacia de polícia de Franca, no interior de São Paulo. PC e Xuxa chegaram há um ano e meio. Estavam magrinhos, desnutridos e comoveram a equipe.

Eles deram comida aos bichinhos, que foram embora e depois voltaram pra nunca mais sair da DP.

Hoje eles estão gordinhos, vivem no prédio da delegacia e viraram companheiros da equipe. “Eles conquistaram delegado, escrivão, o pessoal e foram ficando”, contou Reginaldo Calil, investigador de polícia à TV Record. Eles perceberam que a presença de PC e Xuxa na delegacia melhora o ambiente de trabalho da equipe. “A gente chega no fim da tarde cheio de problemas, começa a brincar com eles, eles carregam jornal, buscam varinha, participam do cotidiano da gente”, diz.

E como amor com amor se paga, os policiais começaram a tratar também da saúde de PC e Xuxa. Os dois foram castrados, vacinados, vermifugados e agora usam até coleira anti-pulga e carrapato. O investigador Bruno Gonçalves resumiu bem o que a presença dos cães provoca na equipe:

“É a melhor coisa que tem. Traz paz, tranquilidade pra gente”, afirmou.

Categoria: Animais, Opinião
Comentários (0) e Compartilhar

Implante de pulmões criados em laboratório tem sucesso em animais

Publicado em 01/10/2018 às 07h59

Pulmões artificiais de animais foram fabricados e implantados com sucesso em porcos, como parte dos testes pré-clínicos padrão em humanos.

Os cientistas Joan Nichols e Joaquin Cortiella, da Universidade do Texas, nos EUA, foram os primeiros a desenvolver pulmões humanos em laboratório, feitos com técnicas de bioengenharia.

“O número de pessoas com lesões pulmonares graves aumentou em todo o mundo, enquanto o número de órgãos transplantáveis disponíveis diminuiu. Nosso objetivo final é eventualmente fornecer novas opções para as muitas pessoas que esperam por um transplante,” disse a Dra Nichols.

Como

Para criar um pulmão manipulado por bioengenharia, é necessário um suporte que atenda às necessidades estruturais do órgão. Esse suporte foi criado partindo de um pulmão de um animal.

O pulmão foi tratado usando uma mistura especial de açúcar e detergente para eliminar todas as células, incluindo as de sangue, deixando apenas a estrutura de proteínas – o “esqueleto” do pulmão.

As células usadas para produzir cada pulmão vieram de um pulmão removido de cada um dos animais do estudo, produzindo órgãos adequados para cada animal.

Para isso, a estrutura do pulmão obtida na primeira etapa foi colocada em um biorreator, um tanque contendo um coquetel de nutrientes cuidadosamente misturados, além das células do próprio animal.

Os pulmões foram cultivados no biorreator por 30 dias antes do transplante.

O implante

Todos os porcos que receberam o pulmão de bioengenharia permaneceram saudáveis, mas foram sacrificados – 10 horas, duas semanas, um mês e dois meses após o transplante.

Isso foi feito para permitir que a equipe examinasse o desenvolvimento do tecido pulmonar após o transplante e como o pulmão artificial se integra ao corpo.

O pulmão de bioengenharia estabeleceu a rede de vasos sanguíneos necessários para sobreviver após duas semanas.

“Não observamos sinais de edema pulmonar, o que geralmente é um sinal de que a vasculatura não está madura o suficiente,” escreveram Nichols e Cortiella.

“Os pulmões manipulados por bioengenharia continuaram a se desenvolver após o transplante sem qualquer infusão de fatores de crescimento. O corpo forneceu todos os blocos de construção que os novos pulmões precisavam.”

Com os bons resultados, os testes futuros irão analisar a sobrevivência a longo prazo, a maturação dos tecidos e a capacidade de troca gasosa.

Com informações do Diário da Saúde

Fonte: Só Notícia Boa

Categoria: Ciência, Saúde
Comentários (0) e Compartilhar

12 sinais que podem indicar problemas no coração

Publicado em 27/09/2018 às 08h43

Saber quais os sinais que podem indicar problemas no coração pode ajudar a prevenir um ataque cardíaco, por exemplo, ou facilitar o diagnóstico de alguma doença do coração como insuficiência cardíaca.

Indivíduos que possuem maiores chances de sofrer com doenças do coração são aqueles que têm antecedentes familiares com problemas de coração, os que estão acima do peso ideal, fumam e possuem outras doenças associadas, como diabetes, hipertensão e aterosclerose. O aneurisma da aorta é um exemplo de doença grave do coração que pode acontecer nesses indivíduos e seu tratamento é feito com cirurgia.

Assim, 12 sinais que podem indicar problemas no coração são:

  1. Ansiedade: um ataque cardíaco pode causar muita ansiedade e medo da morte, momentos antes de ocorrer;
  2. Desconforto no peito: sintoma clássico de um ataque cardíaco;
  3. Tosse persistente: pode ser o resultado do acúmulo de líquidos nos pulmões, devido à insuficiência cardíaca;
  4. Tontura: sentir-se tonto e chegar a desmaiar pode ocorrer momentos antes de um ataque cardíaco ou em casos como arritmia ou hipotensão;
  5. Fadiga: sentir-se muito cansado o tempo todo pode indicar insuficiência cardíaca, no entanto este sintoma é comum em outras doenças como depressão e anemia. 
  6. Náusea ou falta de apetite: pode estar relacionada com o inchaço abdominal causado pela retenção de líquidos ou associada à dor do infarto;
  7. Dor em outras partes do corpo: a dor pode começar no peito e se espalhar para os ombros, braços, cotovelos, costas, pescoço, mandíbula ou abdômen ou estar relacionada a um ataque cardíaco;
  8. Pulso rápido e irregular: quando acompanhado de fraqueza, tonturas ou dificuldade em respirar pode ser evidência de um ataque cardíaco, insuficiência cardíaca ou uma arritmia. 
  9. Falta de ar: pode indicar também o início de um ataque cardíaco;
  10. Suor frio repentino: pode indicar um infarto, hipotensão, hipertensão ou arritmia;
  11. Inchaço: o inchaço das pernas e dos pés pode ser sinal de insuficiência cardíaca, pois esta doença pode causar retenção de líquidos;
  12. Fraqueza extrema: pode ocorrer nos dias que antecedem um ataque cardíaco ou associada a insuficiência cardíaca ou hipotensão;

Quanto maior o número de sintomas que sentir, maiores são as chances de apresentar um quadro de insuficiência cardíaca, ou mesmo ataque cardíaco. Por isso, é importante marcar uma consulta com um cardiologista para uma avaliação minuciosa e consequente tratamento. Além disso, é importante lembrar que as mulheres morrem mais de infarto do que os homens.

Para melhorar a saúde cardiovascular é recomendado consumir alho diariamente, porque ele reduz o colesterol e a pressão alta, protegendo de problemas como aterosclerose e infarto. Uma boa forma de consumir alho é colocar um dente de alho de molho dentro de um copo, durante toda a noite, e tomar essa água de alho pela manhã. 

Fonte: Tua Saúde

Comentários (0) e Compartilhar

Mais 4 paraplégicos voltam a andar após tratamento nos EUA

Publicado em 27/09/2018 às 08h33

Depois do homem paraplégico que voltou a andar após tratamento na Mayo Clinic, nos EUA – mostrado esta semana no SóNotíciaBoa  – agora mais quatro pessoas que também estavam paralisadas da cintura para baixo voltaram a caminhar em outro centro de pesquisas norte-americano.

Elas estão recebendo um tratamento semelhante e experimental no Centro de Pesquisas de Lesão Medular na Kentucky, na Universidade de Louisville, também nos EUA. Os resultados dessa pesquisa foram publicados no New England Journal of Medicine desta semana. Os quatro pacientes receberam um implante vertebral que dispara pequenas descargas elétricas na medula espinhal (destalhes abaixo). Dois deles, que têm lesão traumática completa da medula espinhal, agora são capazes de andar de forma independente. Já os outros dois estão conseguindo se levantar e dar alguns passos.

Os quatro participantes se juntaram ao estudo 2 anos e meio após a lesão. Eles não conseguiam ficar em pé, caminhar, nem mover voluntariamente as pernas.

A pesquisa

A pesquisa do Hospital da Universidade de Louisville é baseada em dois tratamentos distintos: a estimulação epidural da medula espinhal e o treinamento locomotor. Estimulação epidural é a aplicação de corrente elétrica contínua em diferentes freqüências e intensidades para locais específicos na medula espinhal.

Essa localização corresponde às densas redes neurais que controlam amplamente o movimento dos quadris, joelhos, tornozelos e dedos dos pés.

O treinamento locomotor visa, em última análise, treinar novamente a medula espinhal para “lembrar” o padrão da caminhada praticando repetidamente a postura de pé e pisando.

Na sessão de terapia de treinamento locomotor, o peso corporal do participante é apoiado em um chicote de fios, enquanto uma equipe especialmente treinada movimenta as pernas para simular uma caminhada na esteira. “Esta pesquisa demonstra que alguma conectividade cérebro-coluna pode ser restaurada anos após uma lesão na medula espinhal, uma vez que esses participantes com paralisia completa motora conseguiram andar, ficar em pé, recuperar a mobilidade do tronco e recuperar várias funções motoras sem assistência física, usar o estimulador epidural e manter o foco para tomar medidas”.

Palavras da autora Susan Harkema, professora e diretora associada do Centro de Pesquisa de Lesão Medular da Kentucky na Universidade de Louisville.

A melhora

Oito a nove semanas antes do implante de um estimulador epidural, os 4 pacientes começaram a treinar suas habilidades motoras para facilitar o passo em uma esteira. O treinamento era feito por cinco dias por semana, duas horas por dia. Depois da estimulação epidural, os participantes foram capazes de pisar no chão e ter a intenção de andar.

Dois deles conseguiram até mesmo caminhar sobre no chão e em uma esteira – com dispositivos auxiliares, como um andador e postes horizontais para o equilíbrio enquanto o estimulador estava ligado.

Mudou minha vida

“Ser um participante deste estudo realmente mudou minha vida. Me proporcionou uma esperança. Eu achava que não era possível depois do meu acidente de carro”, disse Kelly Thomas, de 23 anos, da Flórida. “O primeiro dia em que dei meus passos sozinha foi um marco emocional na minha recuperação.  Nunca esquecerei o minuto em que andei com a ajuda do treinador e, depois que eles pararam, continuei andando sozinha. É incrível o que o corpo humano pode realizar com a ajuda de pesquisa e tecnologia”, comemorou.

Jeff Marquis, de Wisconsin, tem 35 anos e hoje mora em Louisville. Ele foi o primeiro participante deste estudo a atingir etapas bilaterais.

“Os primeiros passos depois do meu acidente de mountain bike foram uma surpresa e estou muito feliz por ter progredido, dando mais passos a cada dia. Além disso, minha resistência melhorou. Recuperei a força e a independência para fazer coisas que eu pensava, como cozinhar e limpar”, disse Marquis.

“Minha principal prioridade é participar desta pesquisa e aprofundar as descobertas, já que o que a equipe da Universidade de Louisville faz a cada dia é fundamental para os milhões de pessoas que vivem com paralisia devido a uma lesão na medula espinhal”, disse.

Futuro

Susan Harkema, revela que agora o Hospital da Universidade de Louisville quer ampliar essa pesquisa e receber outros pacientes para novos testes.

“Devemos expandir essa pesquisa – esperançosamente, com tecnologia de estimulação aprimorada – para que mais participantes percebam todo o potencial do progresso que estamos vendo no laboratório. O potencial que isso proporciona para 1,2 milhão de pessoas que vivem com paralisia de uma medula espinhal a lesão é tremendo”, garante.

Maxwell Boakye, chefe de neurocirurgia da coluna vertebral da Universidade de Louisville, disse:

“A estimulação epidural pode se tornar um tratamento padrão com várias melhorias no design do dispositivo para direcionar circuitos neurológicos mais específicos.”

Fonte: Só Notícia Boa

Categoria: Ciência, Saúde
Comentários (2) e Compartilhar

Cientistas descobrem proteína que ajuda na redução de peso

Publicado em 27/09/2018 às 08h21

Cientistas norte-americanos descobriram que uma proteína anti-inflamatória, a NLRP12, é uma aliada contra a obesidade.

Os pesquisadores da Faculdade de Medicina da Universidade da Carolina do Norte, nos Estados Unidos, dizem que ela pode ajudar as pessoas a emagrecer.

Segundo o estudo, publicado na Cell Host & Microbe na semana passada, o gene também tem potencial terapêutico para o tratamento do diabetes, um fator de risco para doenças cardiovasculares e outras condições graves. O efeito do anti-inflamatório da proteína promove o crescimento de bactérias “boas” no intestino, chamadas Lachnospiraceae, que produzem pequenas moléculas de butirato e propionato, ácidos graxos responsáveis pelo controle da resistência à insulina. “A obesidade é influenciada por essa inflamação, não apenas por excesso de comida e falta de exercício. Este estudo sugere que a redução da inflamação promove bactérias ‘boas’ que podem ajudar a manter um peso saudável”, explicou Jenny P.Y. Ting, uma das autoras da pesquisa.

Teste

O teste foi realizado apenas em ratos. Eles perceberam que a ausência do gene levou a um aumento dos sinais de inflamação no intestino e nos depósitos de gordura. Tratadas com antibióticos, as cobaias ganharam menos peso. “Isso nos levou a suspeitar que as bactérias do intestino estavam envolvidas na promoção da obesidade”, defendeu outro autor do estudo, Agnieszka Truax.

Eles também concluíram que dietas ricas em gordura e na ausência do NLRP12 tendem a reduzir a diversidade de espécies bacterianas no intestino, suprimindo algumas e permitindo que outras se proliferem anormalmente

Freio na inflamação

Em humanos, o NLRP12 é produzido por vários tipos de células imunes e parece funcionar como um freio na inflamação excessiva. Outros estudos da mesma equipe demonstraram que camundongos sem esses genes são altamente suscetíveis à inflamação excessiva, incluindo a experimental do cólon (colite) e câncer de cólon associado. Os cientistas colaboradores Mihai Netea e Rinke Stienstra, do Centro Médico Universitário de Radboud, na Holanda, examinaram células de gordura de pacientes humanos obesos e observaram que quanto maior o índice de massa corporal, menor é a atividade do gene NLRP12.

Dessa forma, tratar pessoas com bactérias boas pode vir a ser uma estratégia relativamente barata para o combate à obesidade no futuro.

Com informações do Metrópoles

Fonte: Só Notícia Boa

Categoria: Opinião, Saúde
Comentários (0) e Compartilhar

5 exercícios fáceis para melhorar a postura em casa

Publicado em 26/09/2018 às 18h33

Para corrigir a postura e deixar as costas alinhadas é recomendado posicionar a cabeça um pouquinho mais para trás, mas além disso, fortalecer os músculos das costas também é uma boa ajuda para manter os músculos fortes e as articulações alinhadas com o mínimo de esforço.

Indicamos a seguir uma pequena série com 5 exercícios, sendo 3 de fortalecimento e 2 de alongamento, que podem ser realizados para corrigir a postura. Estes exercícios fortalecem os músculos posturais formando um espécie de 'cinta' natural, que é ideal para manter a boa postura. 

Os exercícios são:

Exercício 1

O primeiro exercício consiste em ficar deitado de barriga para baixo com os braços ao longo do corpo e depois deve elevar os braços e a cabeça do chão, contraindo as costas, como mostra a imagem. É recomendado repetir devagar, de 3 a 5 vezes. 

Exercício 2

Ainda deitado de barriga para cima deve posicionar as mãos na mesma direção da cabeça e então deve elevar o tronco do chão, mantendo os braços esticados, olhar sempre para frente, mantendo o pescoço paralelo ao chão e os ombros longe da cabeça. 

Exercício 3

À partir da posição anterior, deve manter as mãos no mesmo lugar, mas deve sentar sobre os calcanhares, mantendo as costas alongadas. Empurre os braços contra o chão para manter as costas o mais alongada possível. Mantenha essa posição durante 30 segundos à 1 minuto. 

Exercício 4

Os pés e as mãos não saem desta posição, mas deve esticar as pernas o máximo que conseguir para manter a posição da pirâmide. Faça força com os músculos das costas para manter a boa posição, e não é preciso colocar os calcanhares no chão. Mantenha essa posição durante 30 segundos à 1 minuto. 

Exercício 5

Virada de barriga para cima deve posicionar os braços como mostra a imagem e elevar o tronco do chão, mantendo essa posição durante 30 segundos à 1 minuto.

Fonte: Tua Saúde

Categoria: Ciência, Saúde
Comentários (0) e Compartilhar

Paraplégico volta a andar após tratamento nos EUA

Publicado em 26/09/2018 às 14h40

Um homem, que ficou paraplégico após um acidente em 2013, conseguiu ficar de pé e caminhar 100 metros agora, 5 anos depois, graças a um tratamento de estimulação elétrica na medula espinhal, feito nos EUA. É o primeiro caso de caminhada independente de uma pessoa com paralisia completa dos membros inferiores após lesão na medula, informou um artigo publicado nesta segunda, 24, na revista científica Nature Medicine.

Os pesquisadores afirmam que, mesmo com um diagnóstico de total perda do controle motor, ainda é possível encontrar conexões neurais intactas no local do ferimento e esses vínculos podem ser estimulados.

O tratamento

O tratamento do americano Jered Chinnock, 29, começou com 22 semanas de reabilitação física na Mayo Clinic, em Rochester, Minnesota, EUA.  Em seguida, ele recebeu o implante de um eletrodo – responsável pela estimulação elétrica e inicialmente destinado para terapia contra dor – no canal medular, abaixo da área lesionada. O eletrodo tem comunicação sem fio com uma central, o que permite controle fino sobre local, frequência e duração da estimulação elétrica.

Depois, o paciente passou por 43 semanas de reabilitação multimodal junto à estimulação elétrica, que permitiu que os neurônios recebessem a sinalização da intenção de movimento.

No total, foram 113 visitas durante um ano à Mayo Clinic. “Isso nos mostra que essa rede de neurônios ainda pode funcionar depois da paralisia”, disse Kendall Lee, um dos pesquisadores responsáveis pela pesquisa.

Primeiros passos

Em uma esteira, o paciente conseguiu pisar e desenvolver uma caminhada somente com apoio dos próprios braços, sem assistência de treinadores ou aparelhos de sustentação de peso. Ao se movimentar no chão, foi necessário o auxílio de um andador com rodas e a ajuda de um assistente para facilitar o controle das passadas e do peso corporal.

O paciente conseguiu dar 331 passos, andar 102 metros e caminhar por 16 minutos com alguma assistência.  A técnica também serve para aprimorar os músculos para possíveis recursos terapêuticos futuros. “Agora começa o verdadeiro desafio, que é entender como a caminhada aconteceu, por que e quais pacientes conseguirão se beneficiar”, afirmou Kristin Zhao, cientista também responsável pelo projeto.

Segundo os pesquisadores, ainda são necessários mais estudos e com mais pacientes para determinar a validade e a eficácia do uso associado de terapia multimodal e estimulação elétrica. Eles também ressalvam que é preciso cuidado para não generalizar e fazer as pessoas acharem que a possibilidade de tratamento é para todos. É preciso verificar caso a caso.

Fonte: Só Notícia Boa

Categoria: Ciência, Saúde
Comentários (0) e Compartilhar

Servidor do Demsur recebe prêmio "Motorista Nota 10" na Semana Nacional do Trânsito

Publicado em 26/09/2018 às 14h32

Nesta terça-feira (26) foi realizado no Grande Hotel Muriahe o 1º Seminário Municipal de Trânsito, promovido pelo Departamento Municipal de Transporte e Trânsito de Muriaé - Demuttran. Durante o evento o servidor do Demsur Flávio Fernandes de Barros foi homenageado com o prêmio "Motorista Nota 10".

A premiação fez parte da programação de palestras realizadas pelo Demuttran em comemoração à Semana Nacional do Trânsito. Dezenas de pessoas, representando órgãos públicos e outras entidades ligadas a essa área participaram do evento e foram homenageadas.

Motorista do caminhão prensa do Demsur e servidor há 7 anos, Flávio Barros foi indicado pelo Setor de Transportes da autarquia como forma de reconhecimento pelo exemplo de profissionalismo do servidor.

Representantes do Setor de Transporte, do Departamento Municipal de Limpeza Urbana e da diretoria do Demsur, também estiveram presentes na premiação para prestigiar o servidor homenageado.

A indicação para recebimento de prêmios como esse valorizam os servidores e os motivam a continuar prestando serviço de qualidade aos muriaeenses.

 

 

Categoria: Opinião
Comentários (0) e Compartilhar

Moradores ajudam alunos a repor latinhas roubadas: dinheiro era pra viagem

Publicado em 26/09/2018 às 09h38

Uma lição de solidariedade dada por moradores da cidade de Irati, região central do Paraná.

Eles ajudaram a repor o dinheiro de latinhas que foram roubadas, mais de 50 quilos. Elas tinham sido arrecadadas por alunos, professores e funcionários do centro municipal de educação infantil (CMEI), Alexandre Iarema, para pagar o lanche das crianças durante para uma viagem a Curitiba.

Mas depois de um mês de trabalho, a turma foi surpreendida pela ação de ladrões que levaram tudo. Só que a força dos moradores unidos foi maior. Eles ajudaram os estudantes a realizar o sonho de visitar o zoológico e o Jardim Botânico.

O furto foi um balde de água fria na turma.

“O primeiro momento foi de desespero e choro. As professoras pensaram ‘Meu Deus, e agora? O que vamos fazer? Não vai ter lanche para as crianças’. Avisamos na rádio e nas redes sociais sobre o roubo e pedindo doações”, comentou a diretora Avani Zanlorenzi.

Aqui o anúncio pelas redes:

“Hoje seria o dia que nossos aluninhos iriam vender as latinhas recicladas que eles e seus familiares juntaram para comprar lanches para a viagem que irão fazer ao Zoológico e ao Jardim Botânico na quarta-feira dia 12/09 como parte do projeto ” Explorando os Seres Vivos além dos Muros da Escola”.
Digo seria… porque as latinhas foram roubadas…mais de 50 quilos …trabalho de um mês das crianças reciclando…o pior foi ver a tristeza e decepção das crianças pois elas iriam vender as latinhas e elas mesmas iriam ao mercado fazer as compras…lanchinhos e guloseimas para a viagem… Triste saber que existem pessoas tão más…

O anúncio nas redes sociais Foto: Facebook

Deu certo!

O anúncio do roubo mobilizou a comunidade.

“Começaram a surgir latinhas, latinhas, latinhas. A gente arrecadou o dobro do que tinha e um pouco mais”, contou Avani.

Um grupo de pais se reuniu para fazer os lanches na madrugada do dia do passeio programado.

E, mesmo depois da viagem, mais latinhas foram doadas.

“Deu para pagar o lanche, o almoço e para investir em mais projetos aqui na escola”, comemorou a diretora.

 

Fonte: Só Noticia Boa

Categoria: Opinião
Comentários (1) e Compartilhar

left show tsN fwR fsN|left fwR tsN|left show fwR tsN|bnull|||login news c05|fsN fwR normalcase c05 tsN|c05|login news fwR normalcase c05|tsN fwR c05 normalcase|normalcase fwR c05|content-inner||