Opinião

Heroína que salvou motorista de caminhão ganha tratamento contra tumor

Publicado em 14/02/2019 às 09h30

Leiliane ganhou um tratamento para curar um tumor no cérebro.

A vendedora Leiliane foi consagrada como heroína essa semana. Ela salvou o motorista do caminhão envolvido no acidente com o helicóptero onde estava o jornalista Ricardo Boechat.

A Mulher Maravilha da vida real: tanto que o ilustrador Angelo France fez uma ilustração de Leiliane arrancando o motorista da cabine do caminhão com a roupa da super-heroína. Que imagem!

O que muita gente não imaginava é que Leiliane está com a saúde comprometida: foi diagnosticada com um tumor no cérebro em novembro de 2018. Felizmente, após o Balanço Geral (Record) apresentar sua história, ela conseguiu o tratamento que precisa para se curar.

Leiliane vai ser ajudada por uma ONG que ajuda pacientes com a mesma doença que ela tem. Nossa Mulher Maravilha receberá todo o apoio necessário!

Assista à reportagem do Balanço Geral:

 

Fonte: Razões para Acreditar

 

Categoria: Opinião
Comentários (0) e Compartilhar

Durante as férias, garoto arrecada materiais escolares para crianças carentes

Publicado em 30/01/2019 às 15h52

Ele tem apenas 9 anos, mas sabe como poucos o verdadeiro significado de ser empático. Nascido em João Pinheiro, município localizado no noroeste de Minas, Othávyo Teixeira organizou uma campanha de arrecadação de materiais escolares pelo segundo ano consecutivo.

Porquê? “Eu me coloquei no lugar das crianças que não têm e fiquei triste”, diz o garoto.

O destino das doações serão os alunos da rede municipal de ensino, a começar pelos mais necessitados.

Há pouco mais de uma semana, Othávyo deu uma entrevista para um jornal local contando mais à respeito de sua iniciativa, sempre com respostas rápidas e objetivas.

“O meu dindo sempre ajuda os outros, às vezes ele fica sem nada, mas feliz por ter ajudado”, diz bem-humorada sua mãe, Carla Teixeira, ao lado da tia, Laura Teixeira. Elas contam que dão todo o apoio financeiro e moral que o garoto precisa, mas afirmam que todo o projeto é de autoria “exclusiva” de Othávyo.

Após o período de campanha, no qual pede doações para vizinhos, colegas e familiares, eles saem no último dia para recolher os donativos – mãe e filho. Já a tia Laura ajuda na gravação dos vídeos, que são o motor de divulgação da campanha no Facebook.

De férias, Othávyo divide seu tempo livre entre trabalhar na campanha de doação de materiais escolares e seu celular, onde adora jogar Free Fire (game-mobile de ação e aventura). Além disso, diz gostar de andar de bicicleta na rua de sua casa ou conversar com seus amigos. “Ele não para um minuto”, brinca a mãe.

Dito isso, comunicativo do jeito que é, Othávyo presta atenção em todos à sua volta e não deixa escapar ninguém. Como conta sua família, a campanha começou porque um colega de sala do garoto iniciou o ano letivo passado sem material escolar.

A ausência de material do colega não passou despercebido dos olhos de Othávyo, que se organizou para doar-lhe os materiais necessários. Nessa época, eles tinham apenas 8 anos.

 

Durante o inverno, ele também se mobilizou para juntar roupas no tradicional bazar de agasalhos promovidos pela comunidade local em João Pinheiro.

Carla conta que o filho faz tudo praticamente sozinho durante as campanhas. Sobre suas roupas, Othávyo diz que “tem para usar, mas um monte de gente aqui fica com frio”, se dispondo a doá-las.

Talvez essa seja a grande diferença – enquanto muitos lamentam as dificuldades enfrentadas pelos outros e não fazem nada para mudar a situação, este garoto de apenas 9 anos, com a pouca bagagem que carrega, mas com o olhar atento, sempre tenta fazer algo para melhorar a vida de seu próximo, nem que seja só um pouquinho.

Othávyo inspira uma reflexão sobre nossas próprias ações. Que tal ajudar também?

COLABORE — Para a campanha, o menino está arrecadando todo o tipo de material escolar — caderno, lápis, borracha, cola, tesoura, régua, lápis de cor, apontador, etc. As doações podem ser entregues na Rua Israel Azambuja, n° 79 ou entrando em contato com Othávyo Teixeira pelo Faoebook que ele mesmo vai buscar.

META — Em 2018, 40 kits foram entregues nas escolas Dois de Maio, Manoel Lucas Prisco e Avelino de
Assis Brasil. Agora a ideia é aumentar o número de contemplados e chegar aos 50. Para isso, o importante é mobilizar a população para ajudar na causa. Empresas parceiras também são muito bem-vindas.

ENTREGA — Os kits para 2019 vão ser entregues aos diretores das escolas do município pelo Othávyo.
Segundo ele mesmo informou, a ideia é que nos primeiros dias desse ano letivo os alunos já estejam
recebendo seus novos materiais. “Eu mesmo queria entregar para cada um, mas como fica mais difícil, eu vou entregar de novo para a direção”, afirmou.

Fonte: Razões para Acreditar

Categoria: Opinião
Comentários (0) e Compartilhar

“Escolhi tudo do jeitinho que você gosta”

Publicado em 28/01/2019 às 15h33

Ele estava na "pindaíba", sem dinheiro nem pra comer, sua amiga percebeu que estava acontecendo algo, e resolveu fazer uma boa compra no supermercado e levou até sua casa: "Escolhi tudo do jeitinho que você gosta".

Um relato sobre amizade:

Gostaria de não me identificar. Mas tenho um depoimento que pode ajudar as pessoas a entenderem que às vezesFazer um pequeno ato para nós pode mudar a vida do outro.

Em 2008, passei por um momento de grande dificuldade, fiquei sem ter o que comer em casa. Morava sozinho e tinha ficado desempregado e começara a pouco tempo em um novo trabalho.Faltava dinheiro pra ir pra faculdade, pra necessidades básicas e eu estava devendo na cantina da empresa, esperando ansiosamente o salário para liquidar a dívida dos almoços que eram as melhores refeições.O mundo estava caindo e eu não percebia.

Achava que havia solução. Pedia muito a Deus que me ajudasse e seguia em frente. Passei a ir pra o trabalho a pé, para economizar o vale transporte e poder ir pra faculdade, era o último período, de vez em quando visitava um amigo pra poder comer algo (digo sem vergonha, pois eu pedia mesmo) e seguia confiante, pois sempre fui um cara alegre e de fé.

A minha melhor amiga percebeu que algo estava diferente. Apesar de eu tentar, nem sempre a gente consegue esconder dos que conhecem bem nosso sorriso e o meu era de preocupação. Ela me pôs no carro, me levou pra casa, senão iria a pé e ao chegar ela disse: “Eu te conheço, algo está errado, fala…”Eu desabafei, não poupei uma palavra. Vomitei todo meu desespero. Ela me abraçou, chorou comigo e disse estar chateada por eu ter escondido isso dela. Foi um bálsamo. Fui pra casa grato a Deus por ter tido a chance de desabafar.Um tempo depois o telefone toca e ela com voz de choro disse: “Desce aqui, esqueci de te entregar algo.”Ao descer meio sonolento, pois era tarde da noite, ela estava com a mala do carro aberta cheia de sacolas de supermercado, um estoque imenso de frutas, verduras, itens que não tinha nem como comprar naquela “pindaíba”. Nos só chorávamos e eu queria agradecer, mas antes de falar ela: “não diga nada, quando puder, faça isso por alguém”. As vezes a gente só precisa abrir os olhos para ver o outro. Pergunte sempre se está tudo bem e se perceber algo errado, ofereça seus ouvidos, seu ombro e se puder, faça algo mais. O mais lindo de tudo foi ouvir: “Escolhi tudo do jeitinho que você gosta.“Obrigado, minha amiga. Te amo pra sempre!

Fonte: Razões para Acreditar

Categoria: Opinião
Comentários (1) e Compartilhar

Noivo cadeirante emociona ao dançar valsa com esposa em cerimônia de casamento

Publicado em 23/01/2019 às 10h17

Casar-se é um sonho na vida de incontáveis pessoas que acreditam no amor e numa alma gêmea. Poder compartilhar a alegria e o amor da união entre duas pessoas com amigos e familiares é um privilégio que merece ser apreciado momento a momento.

E assim foi o casamento de Cinthia Zanuni, de 33 anos, e Hugo Rohling, de 38. Eles oficializaram a união no início do ano e emocionaram os convidados presentes com uma linda valsa de casamento, logo após Hugo, que é cadeirante, se levantar com o auxílio do pai e do seu irmão para bailar com Cinthia.

O vídeo que capturou esse momento viralizou na internet, comovendo centenas de milhares de internautas.

Cinthia e Hugo se conheceram em 2017, com a ajuda de um aplicativo de relacionamento. Nessa época, Hugo já era paraplégico há três anos, devido a um traumático acidente de moto na Estrada do Manso, no Mato Grosso.

Os noivos contam que até antes da cerimônia de casamento, não haviam conseguido se abraçar “como as outras pessoas”.

“O Hugo não consegue me abraçar como todo mundo, de pé, de corpo inteiro. Aí um dia ele falou para mim ‘a minha visão de vida é outra, eu vejo tudo de baixo. Eu queria tanto ver nosso casamento de cima, como todo mundo’”, disse Cinthia.

Cinthia começou a maquinar numa maneira de deixar Hugo em pé, de modo que ele pudesse sentir tudo aquilo que as outras pessoas da festa estivessem sentindo, e com a ajuda de sua irmã e seu cunhado – que são coreógrafos de casamento, – tudo conspirou para dar certo.

Eles então começaram a ensaiar os movimentos de dança dois dias antes da cerimônia. Os ensaios eram carregados de incertezas e emoções, pois eles não sabiam se realmente a empreitada funcionaria. “Por ele ficar muito tempo sentado, ele tem muitos espasmos, a perna dele dobra e não fica reta”, diz Cinthia.

O casamento foi planejado pensando numa locomoção facilitada e em uma maior autonomia de Hugo para transitar pelo salão.

“A gente não tinha dinheiro para fazer o casamento daquele jeito, tivemos parceiros que contribuíram e que tinham a curiosidade de saber como era o casamento de um cadeirante”, relembra Cinthia.

Do encontro para o casamento

O casal se conheceu em um popular aplicativo de relacionamento – entre muitas conversas, flertes e curtidas nas fotos um do outro, o fato de Hugo ser cadeirante não foi um empecilho, muito pelo contrário.

Segundo Cinthia, a tensão e o receio que a rondavam no início do namoro hoje é tratada sempre com bom humor. “Ele lida com isso de um jeito tão leve que foi leve para mim também”.

Durante a festa de casamento da irmã de Cinthia, em abril do ano passado, Hugo a pediu em casamento, após alguns meses de namoro.

Os noivos atualmente trabalham junto. Ela é maquiadora profissional e viaja Brasil (e mundo) afora para dar cursos e palestras. Ele é o homem por trás da gestão administrativa, financeira e demais burocracias da empresa, além de fazer o atendimento de alunos e alunas. “Se não fosse assim, a gente não conseguiria ficar junto. Teve mês que fiquei só quatro dias em Cuiabá”, finalizou.

Adaptações e Desafios

Muito além da parceria profissional e amorosa, Cinthia e Hugo são parceiros nos momentos ruins e nas situações desagradáveis, onde apoiam um ao outro.

“Eu lembro que a gente entrou em uma loja e fui olhar umas camisas. Eu ouvi ele falando ‘para, eu não quero!’, quando fui ver a mulher estava empurrando a cadeira dele no provador. Ela queria estender um lençol para ele se trocar na frente de todo mundo”, relata.

O casal sempre questiona e discute a acessibilidade de cadeirantes e a representatividade em geral de pessoas com deficiência nos estabelecimentos que frequentam.

“Em qual marca você vê um cadeirante no catálogo? Em qual desfile você vê o cadeirante entrando? Não tem!”, desabafa Cinthia.

Até para encontrar roupas compatíveis para Hugo foi um desafio, inclusive no casamento.

 

Seu terno foi confeccionado sob medida, em vista de que o tecido do paletó não enrolasse nas rodas da cadeira e que também fosse confortável enquanto ele se movimentasse.

Entre diversas situações desconfortantes, como a falta de preparo e infraestrutura de locais que não disponibilizam qualquer acessibilidade para cadeirantes, até a lua de mel do casal ficou comprometida.

Hugo afirma que teve dificuldade para encontrar hotéis e passeios em pontos turísticos, pois os organizadores de estabelecimentos e expedições muitas vezes não se importam com clientes que possuem necessidades especiais. Ao final, a bandeira da acessibilidade é sempre levantada por eles.

“Nunca é para mim, eu sou o que menos precisa de tudo isso. Quem precisa dessa acessibilidade são os idosos, mulheres grávidas, mãe que tem filhos pequenos com algum tipo de lesão, é uma luta para todas essas pessoas”, diz Hugo.

Veja o vídeo:

 

Fonte: Razões para Acreditar

Categoria: Opinião
Comentários (1) e Compartilhar

Filha aceita gerar o próprio irmão para realizar o sonho da mãe

Publicado em 21/01/2019 às 09h41

“Eu vi o sofrimento dela. A cada consulta, ela saía mais frustrada. Vi ali a oportunidade de provar o meu amor.”

A Andreia Carrasco, 43 anos, é mãe de Jessica, 21 anos, sua primeira filha. Ela tentou engravidar novamente, mas não conseguiu por causa da falência ovariana precoce ou menopausa precoce, aos 33 anos.

Foi então que cogitou a fertilização in vitro com óvulos doados. Porém, seu ex-marido não entendia nem aceitava o procedimento. Depois de alguns anos, eles se separaram. Andreia casou-se pela segunda vez, com Rogério Marins, 46 anos, que tinha o sonho de ser pai.

Andreia procurou uma clínica de reprodução humana, fez tratamento com hormônios e outros medicamentos, mas não conseguiu engravidar, pois seus ovários, útero e endométrio continuavam atróficos. A família mora em Mauá, na região metropolitana de São Paulo.

O médico disse para Andreia que ela só poderia realizar o seu sonho e de Rogerio através de uma “barriga solidária” ou útero de substituição. Jessica acompanhou a mãe em todas as etapas do tratamento. Vendo o sofrimento de Andreia, Jessica topou na hora emprestar sua barriga para gerar o embrião.

Em novembro do ano passado, foram transferidos dois embriões para o seu útero (o sêmen é de Rogério e o óvulo de uma doadora anônima). A jovem fez o teste de gravidez alguns dias depois e deu positivo.

“Eu vi o sofrimento dela. A cada consulta, ela saía mais frustrada. Vi ali a oportunidade de provar o meu amor. Decidi gerar o bebê dela para realizar o nosso sonho, o meu de ter um irmão e o deles de ter um filho”, disse Jessica.

Perguntada sobre qual é sensação de ver a filha gerando o próprio irmão, Andreia respondeu: “É maravilhosa a sensação de saber que vou ter o meu tão sonhado filho, com a minha realizando esse sonho. Não tenho palavras para descrever o que sinto. Posso viver mil anos, e não conseguirei retribuir tamanho gesto. Estamos muito felizes!”.

“Ela é uma menina de ouro. Pra falar a verdade, eu já tinha me conformado em não poder ser pai. Me casei com a Andreia mesmo sabendo que ela não poderia ter filhos. Eu nunca vou conseguir retribuir tamanho gesto de amor que a Jessica [minha filha do coração] está fazendo por nós”, afirma Rogerio.

“Quero que as pessoas saibam da nossa história, porque sei que muitas mulheres estão passando por dificuldades para engravidar, e muitas desconhecem o procedimento de útero de substituição [barriga solidária]”, explica Andreia.

Jessica está grávida de 11 semanas e seu irmãozinho vai se chamar Rafael. A família aguarda ansiosa a chegada do pequeno. “O amor vence barreiras. Eu e Jessica temos uma relação muito forte. Ela é minha amiga e companheira de vida”, comemora Andreia.

Falta de informação e um pouco de empatia

 

A felicidade da família contrasta com o preconceito de pessoas que não sabem o que é a “barriga solidária”. O procedimento é usado por casais que não podem mais engravidar. A mulher apenas empresta seu útero temporariamente para gerar o embrião, como é o caso de Jessica. Ela não será a mãe de Rafael, mas sua irmã.

Publicamos a história no Instagram e muita gente comentou que não entendia nem aceitava a decisão de Jessica de gerar o próprio irmão. Disseram que Jessica é a mãe da criança, pois quando nasce uma criança, nasce uma mãe. Ela pensa diferente:

“Discordo completamente, afinal, se nascesse uma mãe com o parto, não haveria tantas crianças largadas à própria sorte nas ruas e nos orfanatos, vítimas de maus tratos ou abandono.”

Andreia entende que o preconceito é causado pela falta de informação e explica por que não quis adotar uma criança:

“Os comentários tóxicos são de pessoas que desconhecem o procedimento. Quanto à adoção, cogitamos, sim, a possibilidade de uma adoção, mas a burocracia é tão grande, que preferimos tentar ter o nosso próprio filho. A fila de espera para adotar uma criança é gigantesca. Eu já tenho 43 anos, não tenho mais tempo para ficar de 5 a 10 anos esperando.”

Barriga de Aluguel

Assim como proíbe a venda de órgãos, a Constituição Brasileira veta o “aluguel” de barrigas. O empréstimo pode ser feito apenas de forma solidária: a “barriga de aluguel” é ilegal no Brasil. Veja o que diz a resolução do Conselho Federal de Medicina (CFM) sobre a “barriga solidária” (cessão temporária do útero).

Fonte: Razões para Acreditar

Categoria: Ciência, Opinião
Comentários (0) e Compartilhar

Pilates pelo bem do corpo e da mente dos mais velhos

Publicado em 16/01/2019 às 10h20

Pesquisa brasileira revela que a modalidade traz ganhos físicos e psicológicos para quem já passou dos 60

Engana-se quem pensa que pilates é apenas um treino leve e tranquilo para se alongar. “As sessões trabalham as mais diversas aptidões, como a resistência muscular, a postura e a respiração”, esclarece a fisioterapeuta Walkiria Brunetti, de São Paulo.

E olha que bacana: um estudo realizado na Universidade do Sul de Santa Catarina mostra que até sujeitos mais maduros podem se beneficiar da prática. Para chegar a essa conclusão, foram recrutadas 61 mulheres com idade média de 64 anos. Metade realizou aulas durante quatro meses, enquanto a outra parcela não mexeu o corpo ao longo do mesmo período.

Os resultados apontam que as adeptas do pilates apresentavam mais flexibilidade, força, condicionamento e equilíbrio. “Além disso, observamos uma melhora em questionários que medem a satisfação com a vida e a autonomia”, observa a professora de educação física Vanessa Sanders, chefe da investigação.

Porém, antes de se matricular em qualquer academia ou estúdio por aí, fique atento às dicas listadas abaixo.

Alguns pontos para tirar o máximo proveito das sessões

  • Converse com seu médico e veja se você está liberado para fazer os exercícios sem se prejudicar.
  • Priorize locais que oferecem aulas individuais ou com poucas pessoas. Assim, o professor orienta melhor os alunos.
  • Analise o currículo dos profissionais e veja se são formados em educação física ou fisioterapia.
  • Vista sempre roupas leves e que facilitem a movimentação do tronco, dos braços e das pernas.
  • Não há necessidade de pegar pesado logo de cara: a dificuldade das sessões progride aos poucos.
  • Se você sentir dor em algum momento, há algo de errado. Avise o professor e veja se sua postura está ok.

A origem do método

Ele foi criado pelo enfermeiro alemão Joseph Pilates (1883-1967) e une princípios do ioga, das artes marciais e da meditação. Os movimentos e posições podem ser feitos no chão ou com o auxílio de aparelhos específicos.

Fonte: Saúde Abril

Categoria: Opinião, Saúde
Comentários (0) e Compartilhar

Menino faz carrinho para gato andar novamente e comove internautas

Publicado em 14/01/2019 às 10h19

O pequeno João, paranaense de 9 anos, decidiu ajudar seu filhote de gato a voltar a andar e o vídeo dessa empreitada, que mostra o bichano dando seus primeiros passos comoveu centenas de milhares de usuários num post do Facebook.

Para se ter uma ideia, o vídeo, que você pode assistir logo abaixo já acumula mais de 75 mil curtidas e 32 mil compartilhamentos em menos de três dias.

João estuda numa escola pública em Andirá, no interior do Paraná, e atualmente cursa o 5º ano do ensino fundamental. Sua mãe, Rogéria Bello Corazza, disse em entrevista que o garoto usou apenas “carrinhos e tecidos” para criar a engenhoca.

“O João foi na casa do vizinho e viu uma gatinha que não anda, ficou muito triste de ver os outros gatinhos brincando e ela sem poder brincar. Voltou para casa e começou a ter ideias de como ajudar”, escreveu Rogéria no Facebook.

A gatinha, apelidada de “Cacau”, era muito pequena e os carrinhos de João demasiadamente grandes; então, ele pediu a um amigo um carrinho menor para ajudá-la a se locomover.

Após adaptar o carrinho a um tamanho confortável, o menino amarrou um tecido nele e colocou em Cacau. “Ela saiu andando em poucos minutos… A alegria dele de poder ajudar foi a melhor parte”, disse sua mãe.

Cacau

A gatinha perdeu o movimento das pernas após ser mordida por um lagarto há cerca de duas semanas. A partir daí, conta Rogéria, não conseguia andar mais.

Com sorte, encontrou João e graças ao esforço do menino, agora consegue ir e vir uma vez mais.

“Ele é apaixonado por gatos e cavalos e gosta de inventar as coisas com madeira, prego, martelo. E ficou triste quando viu a gatinha. Ele tentou até que conseguiu fazer ela se movimentar de novo,” diz a mãe de João.

Repercussão

Orgulhosa da atitude do filho, Rogéria afirmou que não esperava que a história repercutisse tanto internet afora.

“Isso sim são atitudes que emocionam e que nos fazem acreditar que existem pessoas boas e humanas. Parabéns a essas crianças e que Deus abençoe sempre”, disse uma internauta.

“Parabéns para esse anjo lindo. Pessoas abençoadas como ele são raras”, afirmou outra.

“Todas as crianças deviam ter esse coração lindo”.

Veja o vídeo abaixo:

 

Categoria: Animais, Opinião
Comentários (1) e Compartilhar

7 dicas de saúde para o verão

Publicado em 29/12/2018 às 09h55

Quando os dias ficam muito quentes devido ao verão, o número de casos de urgência nos hospitais pode aumentar, especialmente devido a problemas como picadas de insetos, desidratação, queimaduras ou até intoxicação alimentar.

Assim, para ter um Verão mais seguro e evitar correr o risco de ter algum destes problemas, existem dicas simples, como usar roupa leve ou trocar o horário do exercício físico, que podem ser feitas todos os dias.

No entanto, é importante lembrar que outros problemas mais comuns do inverno, como problemas respiratórios e gripes também podem acontecer, em pessoas de qualquer idade.

1. Evite o sol entre as 12h e 16h

Embora não seja possível evitar completamente o sol, o mais importante é evitar a exposição durante as horas de maior calor, isto é, entre o meio dia e às 16 horas. Neste horário, os raios solares são mais fortes e, por isso, além de existir um risco maior de queimaduras solares, também acontece uma perda superior de água pela pele, podendo causar desidratação grave.

Durante este horário, mesmo que não se esteja deitado no sol, é essencial passar protetor solar a cada 3 horas, usar chapéu e colocar óculos de sol. 

2. Faça exercícios de manhã

O exercício físico é fundamental para manter seu organismo funcionando corretamente, assim como para eliminar toxinas. Por isso, não precisa, nem deve ser evitado no verão. O melhor é fazer o exercício ao início da manhã, que é quando o dia está mais fresco. E sempre que possível, deve-se fazer a atividade física em locais com sombra.

3. Use roupas de algodão e cor clara

O uso de roupas leves de cor clara ajudam a pele a eliminar o excesso de calor do organismo. Dessa forma, é preferível optar por camisetas leves, shorts e vestidos de verão, por exemplo. Nunca se deve utilizar roupa escura, como preto, marrom ou azul marinho, pois absorvem mais calor.

Além disso, é aconselhável preferir roupas de material natural, como algodão ou linho, ao invés dos tecidos sintéticos, como poliéster ou lycra, já que deixam a pele respirar mais facilmente, evitando o aumento exagerado da temperatura corporal.

4. Beba 2 litros de água todos os dias

Essa dica parece óbvia, mas na verdade a maioria das pessoas se esquece de beber água durante o dia, especialmente quando está trabalhando. Assim, mesmo que não se esteja na praia ou na piscina, é importante manter uma garrafa de água por perto, de forma a que se tente beber 2 litros de líquidos por dia, para manter a hidratação.

Alguns exemplos de bebidas perfeitas para hidratar além da água são os sucos de frutas natural, a água de coco ou até o chá gelado, por exemplo. O ideal é evitar refrigerantes e as bebidas muito açucaradas, pois não hidratam o suficiente e podem até causar falta de água no organismo.

Confira neste vídeo alguns truques legais para beber mais água durante o dia:

5. Evite refeições picantes e indigestas

Refeições muito grandes, com alimentos picantes ou com outros ingredientes indigestos, como os embutidos, por exemplo, tornam o organismo mais lento e provocam um excesso de trabalho pelo estômago, dificultando a eliminação do calor.

Dessa forma, deve-se optar por comer refeições mais leves e com alimentos de melhor digestão, como vegetais, frutas e massas, por exemplo. 

6. Tenha o ar condicionado ligado ou um ventilador

Esta dica quase não precisa de explicação. De fato, ter ar o condicionado de casa ou do local de trabalho ligado é a melhor forma de se manter refrescado. Mas não esqueça que esse tipo de equipamentos precisam ser revistos todos os anos para evitar o acúmulo de bactérias que podem causar doenças graves, como legionella.

Se você não possui ar condicionado, uma alternativa é utilizar um ventilador. Apesar do ventilador não refrescar o ar, permite criar pequenas correntes de ar que em contato com a sua pele ajudam a eliminar o excesso de calor, refrescando o organismo.

7. Deixe as portas e as janelas abertas

Deixar as portas e as janelas de casa abertas é uma ótima forma para complementar o uso do ventilador. Isto porque, assim é mais fácil renovar o ar, evitando que o ambiente fique muito abafado.

Mas atenção! É importante que, caso esteja em uma região com mosquitos da dengue, coloque redes mosqueteiras em todas as janelas e portas, antes de as deixar abertas.

Sinais que podem indicar problemas com o calor

A insolação é uma das principais complicações da exposição excessiva ao calor. Para saber se se está com uma insolação é importante estar atento aos sintomas:

  • Febre e pele vermelha, sem suor;
  • Pulso rápido e dor de cabeça;
  • Respiração ofegante;
  • Tonturas e confusão mental.

Nesse caso é recomendado tentar refrescar o corpo o quanto antes, tomando uma água ou suco fresco, lavando as mãos, os pulsos e a nuca com água fresquinha e ficando na frente de um ventilador, por exemplo. Mas se os sintomas não aliviarem é melhor ir ao médico.

Fonte: Tua Saúde

Categoria: Opinião, Saúde
Comentários (0) e Compartilhar

Fãs dão “Pichu” de Pelúcia a menino atendendo seu pedido em cartinha ao Papai Noel

Publicado em 29/12/2018 às 09h47

Em menos de uma hora, fãs de Pokémon fizeram uma vaquinha pra comprar um “Pichu” de Pelúcia para um garoto como seu presente de Natal.

Um dos fãs, Kazuo Morato, postou no Instagram a foto da cartinha do Miguel para o Papai Noel pedindo o Pikachu de Pelúcia. Detalhe: a carta já tinha sido adotada nos Correios.

Mesmo assim, o grupo Pokémon Go Brasil do Facebook quis presentear o pequeno com o maior Pikachu de Pelúcia que conseguiram encontrar.

A vaquinha completou 200 reais e, além do “Pichu” de Pelúcia, eles comprar um boné do Ash. E ainda escreveram uma carta super fofa para o garotinho. Kazuo então correu para comunicar a escola de Miguel sobre o presente. Todos ficaram emocionados e disseram que Miguel ama criar desenhos.

A diretora se propôs na hora a ajudar no momento da entrega. Kazuo fez uma embalagem para o Pikachu de Pelúcia com todos os detalhes sobre o desenho, para que parecesse que foi enviado pelo próprio Papai Noel e os personagens do anime.

Na entrega, a professora de Miguel fez um slide com seus desenhos. E no tão aguardado momento, a avó do menino e a professora ficaram bastante emocionadas. “E ele, por fim, ficou tão feliz que disse que iria tratar o pichu como ‘seu filho’”.

Fonte: Razões para Acreditar

Categoria: Opinião
Comentários (0) e Compartilhar

Vestido de Papai Noel, Obama distribui presentes em hospital infantil

Publicado em 27/12/2018 às 17h11

Barack Obama protagonizou uma surpresa especial para os pequenos pacientes do Hospital Nacional Infantil de Washington: colocou um gorro de Papai Noel na cabeça, e, com um saco de presentes, saiu distribuindo carrinhos e bonecas para as crianças internadas durante 90 minutos.

O ex-presidente dos Estados Unidos (2008-2016) entregou os primeiros presentes para um grupo de meninos e meninas de cerca de quatro anos de idade que estava brincando em uma das salas de jogos do hospital. Entre outros presentes entregues pelo “Papai Obama” estavam quebra-cabeças, carrinhos de controle remoto e esmaltes com glitter.

Após a entrega de presentes, Obama fez algumas visitas individuais aos quartos do hospital, onde pôde conversar com as crianças internadas e seus familiares.

Antes de partir, o ex-presidente fez um breve discurso agradecendo e prestigiando os funcionários do hospital; além disso, gravou uma mensagem em vídeo a ser exibida apenas pela rede de televisões interna da instituição para aqueles que não puderam conversar com ele pessoalmente.

Fonte: Razões para Acreditar

 

Categoria: Opinião
Comentários (0) e Compartilhar

left show tsN fwR fsN|left fwR tsN|left show fwR tsN|bnull|||login news c05|fsN fwR normalcase c05 tsN|c05|login news fwR normalcase c05|tsN fwR c05 normalcase|normalcase fwR c05|content-inner||