Meio Ambiente

Feira Agroecológica oferece produtos saudáveis e sem agrotóxicos

Publicado em 12/12/2018 às 20h23

Ação inédita em Muriaé acontece todas as terças-feiras, das 7h às 12h, no estacionamento da Igreja Imaculada Conceição, na Barra

Quem gosta de se alimentar com produtos saudáveis vindos diretamente do campo já tem mais uma opção em Muriaé. A Feira Agroecológica da Agricultura Familiar, inédita na cidade, oferece aos consumidores frutas, verduras, legumes livres de agrotóxicos, pães caseiros, broas, doces, rapaduras, frango, ovos caipira e pó de café, além de artesanato, produzidos por agricultores de Muriaé.

Lançada em outubro deste ano, a ação é realizada pela Cooperativa dos Produtores da Agriculta Familiar Solidária (Coopaf) e Núcleo de Estudos em Agroecologia Puri do IF Sudeste e conta com apoio da Prefeitura e Conselho Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional (Comsam). A Feira acontece todas as terças-feiras, das 7h às 12h, no estacionamento da Paróquia Nossa Senhora Imaculada Conceição, na Barra.

“São produtos que de fato valorizam a agricultura familiar e que não contém o uso de agrotóxicos. É a garantia de um alimento saudável”, destaca a diretora Administrativa da Coopaf, Adriana Morais Ribeiro.

Ao todo, aproximadamente 18 produtores da área rural de Muriaé expõem seus produtos nas dez barracas da Feira Agroecológica, que além de oferecer alimentos saudáveis, é um espaço onde os agricultores podem comercializar sua produção, gerando renda e fortalecendo a economia e a atividade rural.

“Antes não tínhamos um local para comercializarmos nossos produtos sem agrotóxicos. Hoje nós temos, graças a esta Feira, um espaço para oferecer à população alimentos saudáveis”, conta o agricultor Eni Silveira Passos. “É uma alegria termos este espaço de comida boa, sem veneno. Todas as terças eu venho aqui. Vale a pena conhecer”, completa a professora e cliente da Feira, Juliana Calixto.

 

Serviço

Feira Agroecológica:
Dia: terças-feiras

Horário: das 7h às 12h

Local: estacionamento da Paróquia Nossa Senhora Imaculada Conceição (Rua Lincoln Marinho, Barra)

 

Categoria: Muriaé
Comentários (0) e Compartilhar

Levantamento aponta crescimento na participação dos catadores e municípios no setor de reciclagem do país

Publicado em 11/12/2018 às 14h23

Pesquisa Ciclosoft 2018 mostra reflexos do amadurecimento do setor e do investimento nos programas de coleta seletiva

O Compromisso Empresarial para Reciclagem (CEMPRE) acaba de lançar a versão da Pesquisa Ciclosoft2018, um levantamento sobre os avanços da coleta seletiva em cidades brasileiras, indispensável para o desenvolvimento do setor de reciclagem no país. Desenvolvido a cada dois anos, o estudo dessa vez revela um crescimento de 6%, em relação a 2016, na participação das cooperativas de catadores, apoiados com maquinários, galpões de triagem, ajuda de custo com água e energia elétrica, veículos, capacitações e investimento em d ivulgação e educação ambiental.

Para Victor Bicca, presidente do CEMPRE, esse avanço representa um amadurecimento em relação aos agentes mais envolvidos no processo de reciclagem. "Além de todo o esforço do trabalho dos catadores, é visível uma evolução nos investimentos do setor privado e no apoio do setor público nas ações de coleta seletiva", explica o executivo.

A pesquisa que consiste no levantamento de dados por meio do envio de questionário às Prefeituras e visitas técnicas, tem como objetivo demonstrar quais municípios contam com programas estruturados de coleta seletiva. Dessa forma, também foi possível apontar um aumento de 16% no número de municípios brasileiros que possuem esses programas. Atualmente, o país conta com 1227 cidades (cerca de 22% do total), e em 2016 esse número era equivalente a 1055.

No Brasil, cerca de 35 milhões de pessoas tem acesso a programas municipais de coleta seletiva. A partir de uma divisão regional, foi possível constar que a concentração dos programas permanece nas regiões Sudeste e Sul do país. Do total de municípios brasileiros que realizam esse serviço, 87% estão situados nessas regiões. Sendo assim, 45% no Sudeste, seguidos de 42% no Sul, 8% no Nordeste, 4% no Centro-Oeste e apenas 1% no Norte do país.

Além disso, o estudo também revelou que os programas de maior êxito são aqueles em que há uma combinação dos modelos de coleta seletiva. A maior parte dos municípios realiza a coleta de porta a porta (80%), outros por meio de pontos de coleta voluntária (45%) e por cooperativas (61%). Os municípios que utilizam a coleta seletiva dos resíduos sólidos municipais feita pela própria Prefeitura representam 39% do total e 36% contratam serviços de empresas particulares.

Já com relação aos materiais recicláveis, em peso, as aparas de papel/papelão continuam sendo os tipos mais coletados por sistemas municipais de coleta seletiva, seguidos dos plásticos em geral, vidros, metais e embalagens longa vida.

Para Victor, nesses oitos anos, após a aprovação da Política Nacional de Resíduos Sólidos, a gestão do lixo no país passou por grandes modificações. "Com o cenário econômico do país atualmente, é muito positivo que não tivemos um retrocesso nos programas de coleta seletiva. Dessa forma, o nosso desafio agora será continuar com as iniciativas para acabar com os lixões espalhados pelo país, aumentar a abrangência da reciclagem e assim evitar os impactos ambientais e sociais", finaliza o executivo

http://drive.google.com/file/d/1VwPAgvP3ARCjw40sGhGhDHJzDPa-DiY8/view?usp=sharing

Sobre o CEMPRE

O CEMPRE é uma associação sem fins lucrativos, que trabalha para conscientizar a sociedade sobre a importância de reduzir, reutilizar e reciclar lixo por meio de programas de conscientização. A entidade utiliza-se de publicações, pesquisas técnicas e seminários, e mantém para consulta pública um rico banco de dados sobre o assunto em sua sede na capital paulista. Fundado em 1992, o CEMPRE vem sendo mantido por contribuições de empresas privadas de diversos setores. Entre elas estão: Adm, Ajinomoto, Ambev, Arcor, Auducco, Braskem, Brf, Bunge, Cargill, Coca-Cola, Colgate-Pamolive, Danone, Femsa, Heineken Brasil, Hershey's, Hp, Klabin, Mcdonalds, Mondelez, Nestlé, Nestlé Waters, Owens Illinois, Pão De Açúcar, Pepsico Do Brasil, SC Johnson, Sig Combibloc, Suzano, Tetra Pak, Unilever Brasil, Verallia e Vigor.

 

Categoria: Brasil
Comentários (0) e Compartilhar

Professores e alunos de Macuco se mobilizam em caminhada contra o mosquito transmissor da dengue, Zika e Chicungunya

Publicado em 06/12/2018 às 16h17

No último sábado letivo realizado na Escola Estadual Capitão Roberto José Ferreira, no distrito de Macuco, os alunos participaram de uma importante palestra sobre os perigos da infestação do mosquito Aedes Aegypti, que é potencializado principalmente neste período de chuvas, e os riscos que ele oferece na transmissão de doenças como dengue, Zika e Chicungunya.

A palestra, ministrada pela professora Ana Paula, com o apoio da servidora Eloisa da Prefeitura de Muriaé, que trabalha no combate ao mosquito naquela região, tratou do ciclo do mosquito, das condições favoráveis à sua proliferação e do importante papel da comunidade em seu combate.

Além da palestra, foi realizada, já na segunda-feira, uma caminhada de alunos e professores pelo distrito levando para além dos muros da escola estas preciosas informações.

Os alunos tiveram a oportunidade de ver de perto lavras do mosquito e conhecer ações que podem fazer dentro de casa para cessar a sua proliferação.

Sobre o mosquito

Aedes Aegypti causador da dengue, Zika e Chikungunya, é muito parecido com o pernilongo, mas possui características especificas que o difere de qualquer outro mosquito. Além das suas listras brancas e pretas, o mosquito tem alguns hábitos que ajudam identificá-lo.

O mosquito da dengue, além de silencioso:

  • Costuma picar durante o dia, especialmente nas primeiras horas da manhã ou fim da tarde;
  • Pica, principalmente, nas pernas, tornozelos ou pés e a sua picada, geralmente, não dói nem coça;
  • Tem voo rasteiro, com no máximo 1 metro de distância do solo.

​​Além disso, o Aedes é mais comum no verão, sendo recomendado utilizar repelentes, usar inseticida na casa ou colocar redes mosquiteiras nas portas e janelas. Uma forma natural de afastar o mosquito é acender velas de citronela dentro de casa.

O mosquito que transmite a dengue, Zika e Chikungunya também é o principal responsável pela transmissão da febre amarela, por isso, é importante combatê-lo, evitando o acúmulo de água parada em recipientes como copos, pneus, tampinhas de garrafa ou vasos de plantas.

Categoria: Muriaé
Comentários (0) e Compartilhar

Reunião do G20: Trégua na guerra comercial EUA-China e renovação de compromissos com o clima e a sustentabilidade

Publicado em 06/12/2018 às 08h29

Arnaldo Francisco Cardoso

Com uma declaração final incluindo temas sensíveis como clima e livre comércio assinada por todos os membros do G20, a reunião do grupo das vinte maiores economias do mundo, realizada em Buenos Aires, pode ser avaliada como bem sucedida uma vez que as expectativas em seu início eram bastante pessimistas dadas as sérias divergências e disputas em temas cruciais para a ordem política e econômica mundial.

As dificuldades para o avanço de negociações multilaterais que requerem a disposição para ceder em nome de um bem comum já podiam ser percebidas a começar pela situação da própria Argentina, anfitriã da reunião que ocorreu pela primeira vez num país da América Sul. O segundo maior país da região enfrenta uma grave crise econômica e política com o governo de Maurício Macri tendo sua popularidade em acentuado declínio.

Entre os presentes, outro governante em situação delicada era o presidente da França, Emmanuel Macron que viajou para Buenos Aires em meio a mais grave crise que seu governo enfrenta e que teve numa decisão de aumento do preço dos combustíveis para financiar projetos de "transição ecológica" o estopim da crise.

Outro acontecimento nas vésperas da reunião de Buenos Aires que terminou por piorar o clima geral foi o cancelamento por parte da diplomacia norte-americana da reunião entre Donald Trump e Vladimir Putin em função da evolução da crise envolvendo a Guarda Costeira russa e navios ucranianos na entrada do estreito de Kerch.

Mas o foco das atenções estavam mesmo em outro ringue, ocupado pelos presidentes Donald Trump e Xi Jimping que, nos últimos meses se enfrentaram numa grave guerra comercial com sérios reflexos sobre os mais importantes fluxos do comércio mundial.

E foi dessa difícil crise que saiu um acordo que, por noventa dias estabelece uma trégua entre EUA e China para que se restabeleçam negociações visando o equacionamento de interesses conflitantes. Abriu-se também espaço para avanço das negociações para reforma da OMC e, com isso, restabelecimento de autoridade e credibilidade da organização multilateral global como fórum privilegiado para a solução de controvérsias do comércio internacional.

Ao Brasil coube apenas espaço de coadjuvante, com o presidente brasileiro que desde o início de seu precário governo não ocupou qualquer espaço de relevo em fóruns internacionais. Sobre o novo presidente brasileiro eleito, a comunidade internacional espera com certa curiosidade e apreensão suas primeiras ações, uma vez que mesmo antes de assumir o poder já foi capaz de produzir discórdia e veementes críticas entre muitos de seus principais parceiros internacionais. Exemplo disto foi o mal-estar provocado pela decisão de cancelamento por parte do governo brasileiro de sediar a COP25 além de declarações de membros do novo governo mostrando desprezo por estudos sobre mudanças climáticas e pouca disposição a cumprir responsabilidades assumidas em fóruns multilaterais. Com isso o governo dilapida um dos seus principais capitais políticos em mesas de negociações internacionais.

Mas mais importante que declarações do presidente brasileiro em exercício ou do novo presidente eleito, foram as declarações de Xi Jimping sobre a irreversibilidade da agenda ambiental e a concordância de Donald Trump em assinar a declaração final da reunião em que constam os compromissos assumidos pelos signatários do Acordo de Paris e do Plano de Ação de Hamburgo que terminaram por restabelecer alguma esperança, ao final da reunião, na aposta na arte de negociar como um dos meios mais elevados e vantajosos da ação política.

Arnaldo Francisco Cardoso é pesquisador e professor da Universidade Presbiteriana Mackenzie Alphaville nas áreas de Comércio e Relações Internacionais.

Sobre o Mackenzie
A Universidade Presbiteriana Mackenzie está entre as 100 melhores instituições de ensino da América Latina, segundo a pesquisa QS Quacquarelli Symonds University Rankings, uma organização internacional de pesquisa educacional, que avalia o desempenho de instituições de ensino médio, superior e pós-graduação.

Categoria: Mundo
Comentários (0) e Compartilhar

Demsur inicia mais uma semana em ritmo de limpeza pela cidade

Publicado em 04/12/2018 às 15h21

O Demsur iniciou nesta segunda-feira (3) mais um cronograma de limpeza semanal pelo município. Mesmo no período chuvoso, a autarquia segue com os trabalhos de capina, roçada e caiação em pontos distintos da cidade e até nos distritos.

Duas equipes de capina começaram a semana nos bairros Santa Helena e Recanto Verde, uma terceira equipe iniciou a limpeza no distrito de Itamuri. Neste período as chuvas são mais frequentes e a tendência que o mato cresça mais rápido. no entanto, o Demsur está intensificando a roçada, principalmente nos trevos de acesso aos bairros que ficam às margens das BR's 116 e 356.

Durante a semana a autarquia seguirá com o serviço de caiação, especialmente nas ruas da região central da cidade. No próximo sábado (8) acontecerá também um mutirão de varrição no bairro Cardoso de Melo.

Após o Demsur ter intensificado o investimento no Departamento de Limpeza Urbana, os serviços de capina, roçada e caiação passaram a atender um maior número de bairros em um curto intervalo de tempo. Após passar por todos os bairros as equipes iniciam um novo ciclo de limpeza pela cidade, em um trabalho contínuo.

Tal investimento resulta em uma cidade mais limpa, prevenindo o aparecimento de insetos e animais peçonhentos, além de proporcionar uma maior sensação de bem-estar aos muriaeenses.

Categoria: Muriaé
Comentários (0) e Compartilhar

Nível do Rio Muriaé está baixando, informa Defesa Civil

Publicado em 04/12/2018 às 10h17

A Coordenadoria Municipal de Proteção e Defesa Civil (COMPDEC) informa que o nível do Rio Muriaé está com escoamento rápido.

Após ter atingido o ápice às 3h, quando chegou a 2m, o nível começou a diminuir de maneira considerável. No momento se encontra em 1,73m - entre o período chuvoso (de outubro e março), a variação de seu nível é de 1,00m a 1,20m. 

A COMPDEC informa também que não há previsão de chuva para esta terça, quarta e quinta-feira na cidade, o que facilita o escoamento do Rio Muriaé.

A Defesa Civil está em constante monitoramento da previsão climática, de encostas e também dos níveis dos rios Muriaé e Preto. A população pode entrar em contato com o órgão pelos telefones 199 e 98826-9846 e também acompanhar pelo Facebook/CompedcMuriaé.

Categoria: Muriaé, Região
Comentários (0) e Compartilhar

Ecobarreira de Diego retira 2 toneladas de lixo de rio

Publicado em 04/12/2018 às 08h22

Uma ideia simples e ousada já ajudou a retirar pelo menos 2 toneladas de lixo de um rio no Paraná. É uma ecobarreira construída por Diego Saldanha, de 32 anos, que mora ao lado do rio Atuba, em Colombo, na região metropolitana de Curitiba. Vendedor de frutas em um semáforo da cidade, ele estudou até a 8ª série e tem muita consciência ambiental. Diego contou em entrevista ao SóNotíciaBoa que faz esse trabalho voluntário sozinho e que investiu dinheiro do próprio bolso para montar a ecobarreira. “Pesquisei muito sobre como ajudar o rio, mas tudo estava fora do meu orçamento. Foi aí que tive a ideia de criar uma barreira ecológica feita com matérias recicláveis, com galões de 50 litros e redes para unir os galões e cordas, gastando em média mil reais para finalizar o projeto”, revela.

O projeto bem sucedido completa dois anos em janeiro. Além de garrafas pet, ele já retirou do rio bola de futebol, boneca, pneus, pedaços de geladeira e até um sofá. “Estima-se que já foram retiradas das águas algo em torno de 2 toneladas [de lixo]”, calcula.

Trabalho diário

Diego conta que todo dia, depois que chega do serviço, vai recolher a sujeira contida pela ecobarreira. “Quando chego em casa na parte da tarde, desço até o rio e se tiver lixo eu faço a retirada. Em média meia hora por dia, eu termino o serviço”.

Além do rio, a boa ação de Diego também ajuda a escola, onde estudam os filhos dele, Luan, de 5 anos e Eduardo, de 10. “Eu mesmo separo e encaminho para a escola aonde meu filho estuda. Lá a instituição vende e aplica a verba em melhorias para a escola, pintura no parquinho, livros para biblioteca, horta e etc”, diz.

A ideia

“A ideia surgiu da necessidade de dar uma vida melhor ao rio Atuba, ele que fez parte da minha infância. Percebi que ele estava morrendo porque descia muito lixo. Eu moro perto do rio e decidi dar minha parcela de contribuição e ajudar”, conta. Em vez de reclamar da prefeitura, ele preferiu agir. “Não só reclamar do poder público. Penso que eles têm suas obrigações, mas como cidadãos devemos fazer nossa parte e foi aqui que decidi tomar a atitude”, conta.

Sucesso

Depois da ecobarreira, Diego ficou conhecido na cidade. Ele já apareceu em reportagens na televisão local mostrando sua criação e como faz a coleta do lixo. E também criou uma página no Youtube para mostrar como é possível ajudar a natureza, sem gastar muito. 

No vídeo abaixo, Diego mostra que apesar de a ecobarreira funcionar para produtos maiores, ela não retém as sacolas plásticas. E este é o próximo problema que ele quer resolver.

Veja:

 

Categoria: Brasil, Dicas
Comentários (0) e Compartilhar

Demsur promove II Fórum Municipal de Lixo e Cidadania

Publicado em 03/12/2018 às 09h15

A Prefeitura de Muriaé, por meio do Demsur, em parceria com o Comitê de Coleta Seletiva, realizou na noite desta quinta-feira (29) no auditório do IF Sudeste o 2° Fórum Municipal de Lixo e Cidadania. Este ano o tema abordado foi "Lixo Zero" e contou com a presença de representantes de vários setores, na plateia um público formado em grande parte por estudantes.

O engenheiro ambiental da Universidade Federal de Viçosa - UFV, Ulisses Bifano, foi o palestrante da noite e falou sobre "Cidades Lixo Zero".

Em seguida representantes de órgãos públicos, do setor privado e da ONG Iracambi, falaram sobre as medidas adotadas em suas rotinas que visam reduzir a produção de lixo e outras propostas de reciclagem.

Na sequência os participantes fizeram questionamentos aos convidados, apresentaram propostas e sugestões.

Com a realização de eventos como este o Demsur pretende proporcionar a comunidade a oportunidade de contribuir com a gestão através de troca de experiências e críticas construtivas visando uma melhor qualidade de vida para toda a sociedade.

Categoria: Muriaé
Comentários (0) e Compartilhar

Seguem abertas inscrições para 2º Fórum Municipal de Lixo e Cidadania promovido pelo Demsur

Publicado em 27/11/2018 às 14h50

As inscrições para o 2° Fórum Municipal de Lixo e Cidadania, promovido pelo Demsur, ainda estão abertas e podem ser feitas gratuitamente pelo site da autarquia. O evento acontecerá na próxima quinta-feira (29) no Auditório do IF Sudeste e terá como tema principal "Lixo Zero".

O objetivo é destacar o processo da Coleta Seletiva e sua relevância na preservação do meio ambiente. A programação inclui palestra com o Engenheiro Ambiental da Universidade Federal de Viçosa – UFV, Ulisses Bifano, que abordará o tema "Passos para uma cidade Lixo Zero!"

Representantes do setor público, empresa privada, organização não governamental, instituição de ensino, hospital e indústrias participarão de uma mesa redonda e irão apresentar medidas adotadas pelas instituições que reduzem a quantidade de resíduos sólidos que são descartados.

Com o evento, o Demsur pretende incentivar a população a adotar medidas sustentáveis visando a melhor gestão de resíduos.

Participarão do debate representantes da Energisa, Hospital do Câncer de Muriaé – Fundação Cristiano Varella, CristalTemper, ONG Iracambi e IF Sudeste.

A pré-inscrição já começou e pode ser feita gratuitamente através do link  http://bit.ly/demsur-inscricao

Cronograma do evento:

17:30 – credenciamento

18:00 – Abertura

18:15 – Apresentação Cultural

18:30 – Palestra: "Passos para uma cidade Lixo Zero" - Ulisses Bifano (Engº Ambiental – UFV)

19:00 – Intervalo

19:15 – Composição da mesa redonda

19:25 – Exposição dos convidados

20:30 – Debate (Identificação e análise de problemas ou situações de conflito)

21:20 – Formulação de alternativas de soluções possíveis para os problemas

22:00 – Encerramento

Local: Auditório do IF Sudeste – Av. Cel. Monteiro de Castro, 550 – Barra, Muriaé

 

Categoria: Muriaé
Comentários (0) e Compartilhar

Por uma Black Friday mais consciente

Publicado em 26/11/2018 às 15h19

A partir da meia noite de quinta-feira (22/11) e sexta (23/11) começou oficialmente a 8ª Black Friday brasileira. O movimento do comércio varejista foi herdado dos EUA e inicia oficialmente a corrida de compras para o Natal.

Segundo a Ebit/Nielsen, são esperados R$ 2,43 bilhões em faturamentos neste ano. Porém, especialistas alertam que a data não justifica o abandono da consciência na hora de consumir.

"O consumo faz parte da vida, mas em equilíbrio. Em excesso, motivado pela posse e acúmulo, e não pelo bem-estar, gerou a degradação no meio ambiente e no nosso dia a dia que vivemos hoje. A relação de equilíbrio com a natureza traz benefícios para todos nós com ar limpo, água, extração de produtos naturais, lazer e saúde, chama a atenção Gabriela Yamaguchi, diretora de Engajamento do WWF-Brasil, ONG nacional que busca o equilíbrio entre a prosperidade humana e a conservação da natureza.

Uma pesquisa do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) mostrou que 85% das pessoas fazem compras por impulso e quase metade delas (47%) já compraram algo que nunca usaram. "O planeta não está aguentando o nível de demanda da humanidade. A natureza é simplesmente incapaz de se renovar na velocidade cada vez mais rápida que precisamos", explica Gabriela.

Prova disso é o Dia da Sobrecarga da Terra, um estudo da Global Footprint Network, que avalia a data em que a demanda da humanidade em relação à natureza ultrapassa a capacidade de renovação dos ecossistemas terrestres naquele ano. Segundo a organização internacional de pesquisa, esse dia tem vindo cada dia mais cedo – neste ano, em 1º de agosto, a humanidade já havia esgotado o estoque de recursos naturais para o ano inteiro.

Como adequar a Black Friday ao consumo consciente?

Independente se você vai investir em presentes ou compras para si nessa Black Friday, o mais importante é que, antes de comprar, você se questione sobre a real necessidade de adquirir um produto. O consumo consciente é apenas uma chamada para essa reflexão.

O desperdício de recursos não afeta apenas o meio ambiente, mas também o bolso de cada consumidor. E, em tempos de crise econômica, nada melhor do que fazer melhores escolhas e economizar. "Instituições como o Instituto Akatu, Instituto Alana e os Novos Urbanos têm se dedicado a trazer para a sociedade pesquisas e campanhas para mudar o comportamento do consumidor em direção ao consumo mais consciente. Nós do WWF-Brasil indicamos fortemente que todos conheçam o trabalho dessas iniciativas. Precisamos consumir para viver, e não viver para consumir, finaliza Gabriela.

Sobre o WWF

O WWF-Brasil é uma organização não governamental brasileira dedicada à conservação da natureza, com os objetivos de harmonizar a atividade humana com a conservação da biodiversidade e promover o uso racional dos recursos naturais em benefício dos cidadãos de hoje e das futuras gerações. Criado em 1996, o WWF-Brasil desenvolve projetos em todo o país e integra a Rede WWF, a maior rede mundial independente de conservação da natureza, com atuação em mais de 100 países e o apoio de cerca de 5 milhões de pessoas, incluindo associados e voluntários.
Categoria: Brasil, Dicas
Comentários (0) e Compartilhar

left show tsN fwR fsN|left fwR tsN|left show fwR tsN|bnull|||login news c05|fsN fwR normalcase c05 tsN|c05|login news fwR normalcase c05|tsN fwR c05 normalcase|normalcase fwR c05|content-inner||