Meio Ambiente

Demsur age rapidamente para minimizar efeitos das chuvas

Publicado em 20/11/2018 às 08h36

Departamento de Limpeza Urbana (DLU) segue com cronograma de atuação pela cidade

Além de implementar, semanalmente, o cronograma de limpeza que inclui os trabalhos de capina, roçada e caiação, o Demsur realiza, também, outras ações pelo município e distritos com a finalidade de minimizar o efeito das chuvas e deixar a cidade cada vez mais limpa.

As precipitações que atingiram o município nos últimos dias trouxeram muita lama. Alguns pontos, como no Condomínio Nova Muriaé, no distrito de Vermelho, ficaram intransitáveis, além de terem causado outros transtornos para a população. O Demsur agiu rapidamente e fez uma grande limpeza no local, diminuindo o incomodo aos moradores.

Nesta segunda-feira (19), o DLU segue dando sequência ao cronograma de limpeza previsto para o município. As equipes de capina começaram a semana pelos bairros Chalé e Planalto, mas nos próximos dias atuarão também no Porto Belo, Centro e Barra. A roçagem ocorre no bairro Recanto Verde e percorrerá ainda os trevos às margens das rodovias federais. No próximo sábado (24) haverá um mutirão de varrição no bairro Gaspar.

Dentre as muitas ações realizadas pelo Demsur, no decorrer deste ano, está um maior investimento no setor de Limpeza Urbana. Tal medida permitiu a ampliação das equipes que realizam, continuamente, os serviços de capina, roçada e caiação, de forma simultânea, em diversos pontos da cidade. A autarquia ganhou em agilidade na prestação dos serviços e, a população, uma cidade mais limpa.

 

Categoria: Muriaé
Comentários (0) e Compartilhar

Demsur realiza nova etapa de instalação de manta geomembrana no aterro sanitário

Publicado em 16/11/2018 às 07h56

O Demsur iniciou, nesta semana, mais uma etapa de instalação da manta geomembrana no Aterro Sanitário de Muriaé. A principal finalidade é evitar o contato direto do lixo com a terra diminuindo, consideravelmente, o risco de contaminação do solo.

A manta não permite também que todo chorume produzido no aterro tenha contato com o com o lençol freático. O chorume é um resíduo líquido de coloração escura com alta carga de poluente.

A implantação da manta começou na última segunda-feira (12) e está sendo feita por uma empresa especializada com apoio de servidores do Demsur. Ao todo estão sendo colocados 11 mil m² de capa. Além de ser ecologicamente correta a geomembrana é de fácil manuseio, mais resistente e tem elevada durabilidade.

Em breve essa nova área do aterro onde está sendo instalada a manta estará apta para receber os resíduos que são recolhidos no município de Muriaé. Atualmente o local recebe mais de 70 toneladas de lixo todos os dias.

A previsão é que o trabalho seja concluído ainda esta semana. 

Categoria: Muriaé
Comentários (0) e Compartilhar

Ministério da Saúde lança campanha de combate ao Aedes aegypti

Publicado em 14/11/2018 às 15h11

Chegada das chuvas e calor acende alerta para intensificação das ações de combate ao Aedes aegypti. Campanha começou nesta terça-feira (13) em todo o país

O Ministério da Saúde lança nesta terça-feira (13) campanha publicitária de combate ao mosquito Aedes aegyptiO objetivo é mobilizar toda a população sobre a importância de intensificar, neste período que antecede o verão, as ações de prevenção contra o mosquito, que transmite dengue, zika e chikungunya. Com o slogan "O perigo é para todos. O combate também. Faça sua parte. Com ações simples podemos combater o mosquito", a campanha ressalta que a união de todos, governo e população, é a melhor forma de derrotar o mosquito, e que a vigilância deve ser constante.

Dados nacionais apontam redução nas três doenças transmitidas pelo Aedes aegypti, entre janeiro a outubro de 2018, em comparação com o mesmo período de 2017, porém, alguns estados apresentam aumento expressivo de casos de dengue, Zika ou chikungunya. Por isso, é necessário intensificar agora as ações de eliminação do foco do mosquito para evitar surtos e epidemias das três doenças no verão.

Os meses de novembro a maio são considerados o período epidêmico para as doenças transmitidas pelo Aedes aegypti, porque o calor e as chuvas são condições ideais para a proliferação do mosquito. “É o momento em que todos - União, estado e municípios, e a população em geral - devem ter maior atenção e intensificar os esforços para não deixar a larva do mosquito nascer. No caso da população, além dos cuidados, como não deixar água parada nos vasos de plantas, é possível verificar melhor as residências, apoiando o trabalho dos agentes de endemias”, explica o coordenador do Programa Nacional de Controle da Dengue do Ministério da Saúde, Divino Martins.

De acordo com o coordenador, os agentes de endemias utilizam três técnicas simples, que levam cerca de 10 minutos, para vistoriar casas, apartamentos e espaços abertos. “Os agentes de endemias estão nas ruas vistoriando todos os espaços em todo o país. Contudo, a população pode se empoderar também dessas técnicas e se antecipar à visita dos agentes. Durante os meses que antecedem o verão e ao longo de 2019, o Ministério da Saúde vai fazer o alerta contra o mosquito e ensinar, por meio de vídeos tutoriais nas redes sociais, entre outros meios, como são essas técnicas. Além dos 60 mil agentes de endemia, a pasta quer contar com os mais de 200 milhões de brasileiros para serem multiplicadores dessas ações”, destaca o coordenador Divino Martins.

Além do lançamento da campanha, está prevista ainda, para o final de novembro, a Semana de Mobilização Integrada para o Combate ao Aedes aegypti. No total, 210 mil unidades públicas e privadas de todo o país estão sendo mobilizadas, sendo 146 mil escolas da rede básica, 11 mil centros de assistência social e 53 mil unidades de saúde. A Sala Nacional de Coordenação e Controle (SNCC) orientou estados e municípios a realizarem atividades para instruir as comunidades sobre a importância da prevenção e combate ao mosquito. Também está prevista a mobilização da população em geral, por meio do slogan ‘Sábado sem mosquito. Com ações simples, podemos combater o Aedes aegypti. Os órgãos públicos também farão vistorias em seus prédios.

Outra medida importante para este mês será a divulgação do Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa), ferramenta utilizada para identificar os locais com focos do mosquito nos municípios. O LIRAa é um instrumento fundamental para o controle do mosquito. Com base nas informações coletadas, os gestores podem identificar os bairros onde estão concentrados os focos de reprodução do mosquito, bem como o tipo de depósito onde as larvas foram encontradas.

Durante todo o ano, o Ministério da Saúde realiza ações permanentes de vigilância, prevenção e combate ao mosquito Aedes aegypti, com apoio da Sala Nacional de Coordenação e Controle (SNCC) e das Salas Estaduais. As videoconferências com as 27 salas estaduais ocorrem mensalmente e, durante o período epidêmico, são realizadas quinzenalmente. O Ministério da Saúde também oferece, continuamente, aos estados e municípios apoio técnico e fornecimento de insumos, como larvicidas para o combate ao vetor, além de veículos para realizar os fumacês, e testes diagnósticos, sempre que solicitado pelos gestores locais

Para estas ações, a pasta tem garantido orçamento crescente aos estados e municípios. Os recursos para as ações de Vigilância em Saúde, incluindo o combate ao Aedes aegypti, cresceram nos últimos anos, passando de R$ 924,1 milhões, em 2010, para R$ 1,93 bilhão em 2017. Este recurso é destinado à vigilância das doenças transmissíveis, entre elas dengue, zika e chikungunya e é repassado mensalmente a estados e municípios. Além disso, desde novembro de 2015, foram destinados cerca de R$ 465 milhões para pesquisas e desenvolvimento de vacinas e novas tecnologias. Neste ano, o orçamento destinado para as ações de vigilância em saúde é de R$ 1,9 bilhão.

DADOS EPIDEMIOLÓGICOS - AEDES AEGYPTI

DENGUE

Até 27 de outubro, foram notificados 220.921 casos de dengue em todo o país, uma pequena redução em relação ao mesmo período de 2017 (223.171). A taxa de incidência, que considera a proporção de casos por habitantes, é de 106,4 casos/100 mil habitantes. Com relação ao número de óbitos, a queda é de 22,1% em relação ao mesmo período do ano anterior, passando de 167 mortes em 2017 para 130 neste ano. No total, 12 estados apresentam aumento de casos em relação ao mesmo período de 2017. Entre eles, destacam-se Goiás, Rio Grande do Norte e Acre, que registram as maiores incidências, com 1.025 casos/100 mil habitantes em Goiás; 624,4 casos/100 mil habitantes no Rio Grande do Norte e 420,8 casos/100 mil habitantes no Acre.

CHIKUNGUNYA 

Até 27 de outubro, foram registrados 80.940 casos de febre chikungunya, o que representa uma taxa de incidência de 39,0 casos/100 mil habitantes. A redução é de 55,7% em relação ao mesmo período do ano passado, quando foram registrados 182.587 casos. A taxa de incidência no mesmo período de 2017 foi de 87,9 casos/100 mil/hab. Neste ano, foram confirmados laboratorialmente 34 óbitos. No mesmo período do ano passado, foram 189 mortes confirmadas. No total, sete estados apresentam aumento de casos em relação ao mesmo período de 2017. Entre eles, destacam-se Mato Grosso e Rio de Janeiro, que registram as maiores incidências, com 394,5/100 mil habitantes no MS e 210,8 casos/100 mil habitantes no RJ.

ZIKA 

Foram registrados 7.544 casos prováveis de zika em todo país, até 27 de outubro, uma redução de 54,6% em relação a 2017 (176.616). A taxa de incidência passou de 8,0 em 2017 para 3,6 neste ano. No total, sete estados apresentam aumento de casos em relação ao mesmo período de 2017. Entre eles, destaca-se o Rio Grande do Norte, com 14,9 casos/100 mil habitantes.

Por Camila Bogaz, da Agência Saúde

Categoria: Brasil, Dicas
Comentários (0) e Compartilhar

Demsur segue investindo em importantes obras na ETA Rio Preto

Publicado em 13/11/2018 às 15h57

As obras de construção da subestação elétrica da Estação de Tratamento de Água do Rio Preto e da bancada de aferição de hidrômetro estão em estágio avançado. Os trabalhos começaram em setembro e a expectativa é que os prédios sejam concluídos ainda este ano.

Com a construção das duas unidades, o Demsur pretende proporcionar mais segurança no fornecimento de energia elétrica à estação e, consequentemente, ao abastecimento dos bairros atendidos pela ETA Rio Preto, assim como destinar um local específico para controle da manutenção e instalação dos hidrômetros.

As duas novas instalações estão sendo erguidas nas dependências da ETA Rio Preto e são investimentos importantes que irão representar mais autonomia energética para a estação e mais transparência na avaliação dos equipamentos que medem o consumo de água. 

Categoria: Muriaé
Comentários (0) e Compartilhar

Praças da cidade recebem trabalho de manutenção permanente

Publicado em 13/11/2018 às 15h50

Objetivo da Prefeitura é deixar espaços públicos mais agradáveis à visitação de muriaeenses e visitantes que circulam pelo município

Praças e jardins recebem um trabalho de manutenção permanente em Muriaé com o serviço de revitalização realizado pela equipe de paisagismo da Prefeitura. O projeto está sendo realizado em todos os bairros da cidade e tem como principal objetivo deixar os espaços públicos mais agradáveis à visitação de muriaeenses e visitantes que circulam pelo município.

Recentemente foram realizados a capina, poda, limpeza de arbustos e replantio de algumas espécies de planta nos bairros Encoberta (CAIC), no São Francisco, Santana, São Cristovão, Centro (Praça Coronel Pacheco de Medeiros - Pracinha da Prefeitura) e imediações da Matriz São Paulo. Os canteiros da Rua Professor Carvalho (subida do Morro do Castelo) e as rotatórias do BNH também receberam manutenção. Nos próximos dias, os serviços serão realizados nas praças do bairro São Pedro e trevo de acesso aquela localidade.

De acordo com a paisagista da Prefeitura, Carla Pereira, as espécies são escolhidas em conformidade com o clima. “Procuramos adaptar aos jardins as plantas que tenham maior resistência ao calor da cidade. Realizamos a poda e retiramos as folhas secas, porém precisamos da colaboração da comunidade. Aqueles que residem próximos aos espaços públicos podem nos ajudar a aguar os canteiros, assim como vigiar as plantações para que não arranquem as mudas”, disse ela, lembrando que os jardins são criados para embelezar a cidade e fazem parte do meio ambiente.

Em formato de rodízio, a Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente planeja atender todas as praças de Muriaé e distritos, assim como aos canteiros de acesso aos bairros. O projeto vai tornar as praças mais limpas e revitalizadas para que crianças, jovens e adultos possam circular em ambiente apropriado para entretenimento e convivência.

Categoria: Muriaé
Comentários (0) e Compartilhar

Zé da Luz na estrada: Energisa alerta sobre cuidados com a rede elétrica

Publicado em 12/11/2018 às 15h12

Com orientações importantes sobre os riscos e perigos de se aproximar da rede elétrica, o projeto ‘Zé da Luz na Escola’ da Energisa está na estrada. Em outubro, mais de 700 crianças assistiram à peça teatral ‘Segurança Sempre’, conduzida pelo Grupo Pera, com o objetivo conscientizar crianças, adolescentes e adultos sobre os riscos e perigos de se aproximar da rede elétrica, reforçando que a segurança deve estar sempre em primeiro lugar.

Neste mês de novembro, o projeto visitará mais três cidades de Minas. As escolas visitadas serão:

  •         Centro Educacional Municipal 2000, em Pirapetinga, no dia 12 de novembro;
  •         Escola Municipal Albertina Lima da Costa Duarte, em Visconde do Rio Branco, no dia 26 de novembro; e
  •         Escola Municipal Professora Stela Fidelis, em Muriaé, no dia 28 de novembro.

Este ano, o projeto Zé da Luz na Escola já percorreu 34 escolas da área de concessão da Energisa Minas Gerais, beneficiando mais de 10 mil alunos. Fique atento você também e siga as orientações da Energisa, repasse aos filhos, amigos e parentes e evite acidentes:

  •         materiais metálicos como escadas, barras de ferro, arames, trilhos de cortina, antenas devem ficar longe da rede elétrica;
  •         nada pode ser construído próximo à rede elétrica;
  •         aparelhos elétricos devem ficar longe de locais molhados;
  •         fique longe de fios caídos;
  •         remendos em fios podem causar choque.

Ao soltar pipas:

  •         escolha lugares abertos, longe da rede elétrica, como campos de futebol e parques;
  •         nunca tente retirar pipa enrolada em fios elétricos;
  •         jamais use cerol. O uso do cerol pode se transformar em uma arma. Ele deixa as linhas das pipas como uma lâmina afiada, o que pode machucar pessoas, causar mortes e romper os fios com mais facilidade.
  •         não use papel alumínio ou fios metálicos para fazer a sua pipa. Esses materiais conduzem energia elétrica com mais facilidade e provocam choques e curto-circuito.

Veja outras notícias em nosso site: www.energisa.com.br e acompanhe a Energisa nas redes sociais: Facebook e Twitter.

Categoria: Minas Gerais, Região
Comentários (0) e Compartilhar

Publicação do WWF-Brasil avalia metas nacionais de biodiversidade

Publicado em 12/11/2018 às 08h48

Análise chama a atenção para os compromissos do país na Convenção sobre Diversidade Biológica (CDB)

Às vésperas da 14a Conferência das Partes da Convenção da Diversidade Biológica, marcada para novembro, no Egito, o WWF- Brasil avalia a situação da conservação da biodiversidade brasileira em relação às metas estabelecidas nacionalmente. O documento organiza o debate e serve como base para o posicionamento do WWF-Brasil nos fóruns internacionais.

A Convenção sobre Diversidade Biológica (CDB) foi lançada em 1992, durante a Cúpula das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento realizada no Rio de Janeiro, a ECO-92. O Brasil ratificou a convenção em 1994 e participa das negociações globais numa posição peculiar. É o país que detém a maior biodiversidade do planeta e, ao mesmo tempo, é um dos maiores produtores e exportadores de alimentos do mundo. Produção essa que depende dos serviços ecossistêmicos – da abundância de água, da qualidade de solo e da disponibilidade de polinizadores – e também representa uma ameaça contra a integridade dos ecossistemas, pela relação com o avanço do desmatamento.

A análise feita pelo WWF-Brasil tem como base as Metas Nacionais de Biodiversidade, que integram a Estratégia e Plano de Ação Nacionais para a Biodiversidade (EPANB, ou National Biodiversity Strategies and Action Plans, NBSAPs, em inglês), publicados em 2017, para mesmo período do plano estratégico global, até 2020.

Onde estamos
O Brasil conseguiu reduzir o desmatamento nos dois maiores biomas, Amazônia e Cerrado, reúne hoje mais de 2,5 milhões de quilômetros quadrados de Unidades de Conservação continentais e marinhas, mas não cumpriu a meta de redução das taxas de conversão de ambientes nativos e ainda enfrenta grandes desafios para garantir efetividade às áreas protegidas, além de lidar com pressões para reduzir seu tamanho e status de proteção.

A dois anos do fim do segundo período de compromissos, quando deveria reduzir o risco de extinção de espécies ameaçadas, ainda faltam medidas de proteção para centenas delas. E o combate à sobrepesca é fragilizado pela falta de estatísticas recentes.

Mais importante: embora a população reconheça a necessidade de proteger a natureza, a biodiversidade ainda é um tema mantido em segundo plano nas agendas de governo.

Destaques do estudo:

  • As Unidades de Conservação continentais e marinhas brasileiras somam 2,5 milhões de quilômetros quadrados, são o principal trunfo do país nos debates da Convenção da Biodiversidade, mas sua efetividade é considerada moderada;

  • Nos dois maiores biomas _ Amazônia e Cerrado_, o Brasil ainda não cumpriu a meta de redução das taxas de conversão de ambientes nativos;

  • A dois anos do prazo para reduzir significativamente o risco de extinção de espécies, diagnóstico avançou, mas centenas de espécies ameaçadas ainda não contam com medidas de proteção;

  • Estatísticas sobre pesca deixaram de ser produzidas há quase uma década, um obstáculo ao monitoramento da sobrepesca;

  • Biodiversidade é tema periférico na agenda do governo, embora uma grande parcela da população (67%) se sinta responsável por proteger a biodiversidade e a natureza. Outra pesquisa mostra que 39% dos brasileiros veem no meio ambiente e nas riquezas naturais o maior motivo de orgulho para o país.

Sobre o WWF

O WWF-Brasil é uma organização não governamental brasileira dedicada à conservação da natureza, com os objetivos de harmonizar a atividade humana com a conservação da biodiversidade e promover o uso racional dos recursos naturais em benefício dos cidadãos de hoje e das futuras gerações. Criado em 1996, o WWF-Brasil desenvolve projetos em todo o país e integra a Rede WWF, a maior rede mundial independente de conservação da natureza, com atuação em mais de 100 países e o apoio de cerca de 5 milhões de pessoas, incluindo associados e voluntários.
Categoria: Brasil, Geral
Comentários (0) e Compartilhar

Legado das Águas oferece ecoturismo com travessias em trechos conservados de Mata Atlântica

Publicado em 12/11/2018 às 08h23

Iniciativa de montanhismo possibilita aos visitantes percorrer trilha de curta distância em trechos da Mata Atlântica. Atividade será no dia 24/11. 

Nada melhor do que aproveitar a natureza para relaxar a mente e exercitar o corpo. Para quem gosta do trekking, o Legado das Águas - maior reserva privada de Mata Atlântica do país, com 31 mil hectares, no Vale do Ribeira, no Estado de São Paulo – oferece duas opções: a volta maior (23 km) e a volta menor (12km). A próxima data para a travessia de volta menor será em 24/11.

A travessia será pelo trecho "Dezembro – Cantagalo", que tem duas opções de trajeto, cada uma com características para atender a diferentes perfis de visitantes. Ambos percursos atravessam extensões da floresta em estágio avançado de conservação e passam pela Cachoeira Dezembro, onde há local para belas fotos e, mais adiante, poços para banho.

A travessia possui aproximadamente 12 quilômetros de extensão com belas paisagens! É concluída em um único dia, sem necessidade de dormir na mata. O nível de dificuldade é intermediário.

Todos os participantes serão acompanhados por guias profissionais, além de kits de primeiros socorros e contato permanente com a base da Reserva, com estrutura adequada para atendimento de emergência. Inscrições pelo site.

Serviço

Data: 24/11

Onde: Reserva Legado das Águas – Miracatu/SP (80 km de São Paulo)

Valores, inscrições e informações: http://legadodasaguas.com.br/travessia/

Sobre o Legado das Águas – Reserva Votorantim

O Legado das Águas, maior reserva privada de Mata Atlântica do país, com extensão aproximada à cidade de Curitiba (PR), é um dos ativos ambientais da Votorantim. Localizada na região do Vale do Ribeira, no sul do Estado de São Paulo, a área foi adquirida a partir da década de 1940 e conservada desde então pela Companhia Brasileira de Alumínio (CBA), que manteve sua floresta e rica biodiversidade local com o objetivo de contribuir para a manutenção da bacia hídrica do Rio Juquiá, onde a companhia possui sete usinas hidrelétricas.

Em 2012, o Legado das Águas foi transformado em um polo de pesquisas científicas, estudos acadêmicos e desenvolvimento de projetos de valorização da biodiversidade, em parceria com o Governo do Estado de São Paulo.

Hoje, o Legado das Águas é administrado pela empresa Reservas Votorantim, criada para estabelecer um novo modelo de área protegida privada, cujas atividades geram benefícios sociais, ambientais e econômicos de maneira sustentável.

Categoria: Brasil, Dicas
Comentários (0) e Compartilhar

2º Fórum Municipal de Lixo e Cidadania terá como foco “Lixo Zero”

Publicado em 09/11/2018 às 14h50

No próximo dia 29 de novembro acontecerá no Auditório do IF Sudeste o 2° Fórum Municipal de Lixo e Cidadania. O evento, que é organizado pelo Comitê de Coleta Seletiva em parceria com o Demsur e a Prefeitura de Muriaé, tem o objetivo destacar o processo da Coleta Seletiva e a relevância que ela tem na preservação do meio ambiente.

Esse ano o evento será voltado para o conceito "Lixo Zero", com foco no maior aproveitamento possível dos materiais, o encaminhamento correto dos resíduos recicláveis e orgânicos visando reduzir a quantidade de lixo encaminhada ao aterro sanitário.

Durante o Fórum haverá uma mesa redonda composta por representantes do setor público, empresa privada, organização não governamental, instituição de ensino, hospital e indústrias. Cada participante da mesa apresentará ações desenvolvidas pela instituição que representa com foco na redução e destinação correta de resíduos sólidos.

O movimento pretende envolver vários segmentos e incentivá-los a adotar medidas sustentáveis visando a melhor gestão de resíduos. Até o momento está confirmada a presença de representantes da Energisa, Hospital do Câncer de Muriaé - Fundação Cristiano Varella, ONG Iracambi e IF Sudeste.

A pré-inscrição já começou e pode ser feita gratuitamente através do link http://bit.ly/demsur-inscricao

Cronograma do evento:

17:30 - credenciamento

18:00 - Abertura

18:15 - Apresentação Cultural

18:30 - Abordagem do tema

19:00 - Intervalo

19:15 - Composição da mesa redonda

19:25 - Exposição dos convidados

20:30 - Debate (Identificação e análise de problemas ou situações de conflito)

21:20 - Formulação de alternativas de soluções possíveis para os problemas

22:00 - Encerramento

Local: Auditório do IF Sudeste - Av. Cel. Monteiro de Castro, 550 - Barra, Muriaé

 

Categoria: Geral, Muriaé
Comentários (0) e Compartilhar

Defesa Civil atua em estado de atenção

Publicado em 09/11/2018 às 14h41

Órgão alerta para possibilidades de deslizamentos de terra; previsão é de chuva para o final de semana

 Devido à chuva que está caindo na cidade nos últimos dias, a Coordenadoria Municipal de Proteção e Defesa Civil (COMPEDC) está operando em estado de atenção. A previsão é de chuva para o final de semana, com tendência a diminuir - 40mm para esta sexta-feira (9) e 11mm para sábado (10).

O nível do Rio Preto é de 1,20m e o do Rio Muriaé é de 1,82m (portanto, dentro da calha normal).

A Defesa Civil está em constante monitoramento dos níveis dos rios Muriaé e Preto, encostas e da previsão do tempo. A população pode entrar em contato com o órgão pelos telefones 199 ou 98826-9846 e também acompanhar pelo Facebook/CompedcMuriaé.

Risco moderado de deslizamento - O órgão, em parceria com as informações emitidas pelo Centro Nacional de Monitoramento de Alertas e Desastres Naturais (CEMADEN), não descarta a possibilidade de eventos pontuais de movimentação de massa (deslizamento de terra) nas áreas de risco em Muriaé e distritos.

O alerta se dá devido ao considerável acumulado de chuvas no município, chegando a 98 mm no distrito de Vermelho e 78 mm no bairro José Cirilo nesta sexta-feira.

A Defesa Civil de Muriaé possui todas as áreas de risco do município mapeadas, fazendo com que todas as atenções dos agentes sejam voltadas para os pontos mais suscetíveis às ocorrências adversas.

 

Categoria: Muriaé
Comentários (0) e Compartilhar

left show tsN fwR fsN|left fwR tsN|left show fwR tsN|bnull|||login news c05|fsN fwR normalcase c05 tsN|c05|login news fwR normalcase c05|tsN fwR c05 normalcase|normalcase fwR c05|content-inner||