Dicas

Reino Unido oferece bolsas de R$ 49 mil para graduação

Publicado em 09/10/2018 às 08h24

Oportunidade para estudar na Europa, sem gastar e ainda recebendo dinheiro. O Reino Unido está oferecendo bolsas de estudo no valor de 10 mil libras – quase 50 mil reais – para graduação.

O British Council, instituição pública do Reino Unido procura estudantes a partir dos 18 anos interessados em um curso integral de graduação ou pós-graduação no exterior, em qualquer país do mundo.

Em 2017, a brasileira Clara Kamphorst Leal da Silva foi selecionada com outros três bolsistas e conseguiu fazer o seu Mestrado de Direito na Leiden University, na Holanda.

O instituto tem como missão difundir o conhecimento da língua inglesa e sua cultura.

Nos seus três anos de vida, o The Global Study Awards (TGSA) já ajudou 13 estudantes internacionais a realizar o sonho de estudar no exterior, entre eles, alemães, indianos, malaios, quenianos e até mesmo uma brasileira.

A seleção

A seleção é feita com base em mérito escolar/acadêmico e a bolsa de 10.000 libras deve ser usada para pagar diretamente as taxas de ensino na instituição estrangeira.

Se o valor do curso for menor do que o prêmio, as libras esterlinas restantes podem ser direcionadas ao custo de vida do estudante por no máximo 52 semanas a partir da data de matrícula.

Um painel de representantes do British Council e seus parceiros avaliará todos os inscritos e selecionará alguns candidatos em potencial para uma entrevista presencial antes da decisão final.

O resultado é divulgado com três meses de antecedência do prazo final das inscrições para os cursos com início na metade do ano – comum nos países do Hemisfério Norte.

Os estudos começarão entre 1º de agosto e 31 de outubro.

Requisitos

O Global Stury Awards procura por estudantes talentosos e altamente motivados de todas as partes do mundo.

O principal requisito é ter prestado o IELTS, exame reconhecido de proficiência na língua inglesa, e alcançado um resultado satisfatório.

Além de ter mais de 18 anos e planejar cursar um programa acadêmico no exterior, os candidatos precisam comprovar:

  • Potencial para contribuir à sociedade por meio dos estudos;
  • Forte comprometimento com o desenvolvimento profissional;
  • Interesse sincero em aumentar a coerência intercultural.

Os interessados também precisam ter um International Student Identidy Card (ISIC), carteirinha de identidade do estudante internacional, e/ou um International Youth Travel Card (IYTC).

Antes de se inscrever na bolsa de estudo, o estudante precisa passar pelo processo seletivo no exterior para o curso de interesse e ser admitido.

A carta de oferta de vaga deverá ser um dos documentos apresentados na inscrição do Global Study Awards.

Saiba mais na página oficial do The Global Study Awards.

Com informações do VestibularBrasilEscola

Fonte: Só Boa Noticia

Categoria: Brasil, Dicas, Projetos
Comentários (0) e Compartilhar

Saiba a importância de readaptar a rotina do sono das crianças na volta às aulas

Publicado em 20/07/2018 às 07h51

É importante manter a rotina dos pequenos mesmo durante as férias e ajustar os pequenos períodos de flexibilidade

Ter uma rotina do sono é um dos principais fatores que colaboram com a saúde, o crescimento e desenvolvimento das crianças. Com o período de férias nem sempre é possível manter os horários regrados, especialmente com viagens em família e mudanças de fuso horário. Nessas ocasiões, é importante ter paciência com o período de adaptação dos pequenos, que podem apresentar irritabilidade e sonolência. Além disso, quanto mais estável a rotina de sono for mantida, mais fácil será a readaptação no período de volta às aulas.

Carolina Gambetta Paim, médica do Instituto Brasiliense de Otorrinolaringologia (Iborl), lembra que variações constantes de horário são muito prejudiciais e pouco toleradas pelas crianças. O ideal é que o horário de sono seja igual todos os dias, com variação máxima de uma hora. "Isso vale também para os finais de semana, feriados e período de férias. Dessa forma, a criança terá muito mais disposição e bom humor para aproveitar esses momentos", afirma Carolina.

A rotina dos pequenos

Laiuse Aguiar Teles é mãe de Miguel Soares, que frequenta as aulas na educação infantil do Colégio Objetivo, de Águas Claras, Com 2 anos e 3 meses, Miguel estuda no turno vespertino e a mãe conta que não foi fácil readaptar a rotina de sono. "Ainda estamos trabalhando nisso. O Miguel volta dormindo da escola e quer continuar dormindo quando chega em casa. Assim, ele acaba jantando tarde, o que atrapalha toda a nossa rotina em casa", destaca.

O menino entrou para a escola em fevereiro e costuma dormir 13 horas de sono por dia, sendo dez durante a noite e três no soninho da tarde. Quando dorme mal, Lauise conta que o filho se mostra mais irritado e não come direito.

Priscilla Martins Mazzeti é coordenadora de educação infantil no Colégio Objetivo e lembra que o sono é fundamental para que a criança tenha uma aprendizagem de qualidade. "O tempo todo essas crianças serão submetidas a algo que nunca vivenciaram, além de novos estímulos. O sono é fundamental para que todas essas experiências sejam transformadas em aprendizado", afirma Priscilla.

A coordenadora lembra que é durante o sono que as crianças solidificam o aprendizado e crianças que não têm noites bem dormidas apresentam dificuldades de aprendizado além de ficarem irritadas, chorosas e com baixo rendimento nas atividades. "Nas salas de educação infantil (1 a 5 anos) temos camas onde as crianças que sentem sono podem cochilar. Crianças com sono não absorvem o conteúdo de maneira eficaz", destaca.

Noites bem dormidas

O ritmo para recuperar a rotina de sono pode variar para cada criança mas, geralmente, é necessário pelo menos uma semana para que tudo volte ao normal. A falta de sono pode acarretar irritabilidade e agitação, além de redução das funções cognitivas, piora da inteligência, memória e atenção.

Carolina Gambetta lembra ainda que o acúmulo de noites mal dormidas pode retardar o crescimento pôndero-estatural nas crianças. "Há redução da liberação do hormônio GH (responsável pelo crescimento), pois o mesmo é secretado durante estágios profundos do sono de ondas lentas", lembra.

As medidas de higiene do sono são sempre importantes e podem ajudar bastante nesses momentos. Para isso, é importante lembrar de alguns cuidados: Ter horário para dormir e para acordar; manter o quarto como um local tranquilo e utilizado apenas para dormir; evitar celulares, televisões, refeições pesadas e brincadeiras agitadas pelo menos duas horas antes da hora de dormir.

É importante criar um ritual de atividades tranquilas que devem ser feitas antes de dormir como: escovar os dentes, massagem, ouvir uma história ou uma música relaxante.

 

Qual a quantidade de sono recomendada para cada período da infância?

Recém-nascido: ±15-19 horas distribuídas de dia e de noite igualmente.

12 meses: ±12-13 horas, com predomínio noturno (±9-10h)

3 anos: ± 11-13horas, geralmente noturno com uma soneca à tarde.

5 anos: ± 9-10 horas, geralmente noturno sem soneca à tarde.

12 anos: ± 9-11 horas

Adolescente: 9-10 horas.

 

Categoria: Dicas
Comentários (0) e Compartilhar

left show tsN fwR fsN|left fwR tsN|left show fwR tsN|bnull|||login news c05|fsN fwR normalcase c05 tsN|c05|login news fwR normalcase c05|tsN fwR c05 normalcase|normalcase fwR c05|content-inner||