• Professor Elias Santos

Homem diagnosticado com paralisia cerebral desafia expectativa médica e brilha como bailarino



Aos três meses de vida, Jerron Herman foi diagnosticado com paralisia cerebral do tipo hemiplegia. Para os médicos ele seria totalmente dependente para atividades básicas, como se vestir e se alimentar. Mas ele mostrou que era capaz de superar isso.

E foi longe!

A condição de Jerron afeta a resposta muscular do lado esquerdo de seu corpo. Só que isso não foi o suficiente para ele investir e brilhar na carreira de bailarino.

Hoje aos 29 anos, Jerron já se apresentou em locais como o Lincoln Center e Whitney Museum, em Nova York, e ganhou do New York Times o apelido de “inesgotável senhor Herman”.


Hoje ele é o principal bailarino de uma companhia de dança



Jerron atualmente é o principal membro da companhia de dança Heidi Latsky Dance, que trabalha pela inclusão de dançarinos com deficiência no campo artístico.

Ele também atua como modelo para marcas no estilo street style. Além disso, Jerron advoga pela inclusão de pessoas com deficiência na dança. Para ele, os movimentos são revigorantes e podem ajudar na recuperação de diversas doenças.

Jerron não deixa que suas limitações sejam um bloqueio para seus sonhos…que são grandes!

“É audacioso ser uma pessoa com deficiência e utilizar meu corpo como instrumento.”

O Arebesque é considerado um dos movimentos mais incríveis do Jerron. O motivo é porque ele exige muito equilíbrio e coordenação motora, algo que seria impossível de alguém, com o diagnóstico do bailarino, conseguir realizar.

Meu lado direito se torna o principal ímpeto de controle do meu corpo. Então. as questões que eram percebidas como negativas foram moldadas na coreografia“, explica.


Eu virei fã do Jerron e vou fazer você admirá-lo ainda mais, depois desse vídeo!



Fonte: Razões para Acreditar