• Professor Elias Santos

Viúvo rema para levar comida a animais em ilha e deixa a tristeza pra trás



Seu Joatã, de 67 anos, ficou viúvo há poucos meses e todo mundo imagina como é dor de perder a parceira de uma vida… Mas ele não se entrega e encontrou uma forma de ajudar e ser “ajudado”.

Ele rema todo dia, durante 10 minutos, dependendo da maré, para levar comida pra 5 cachorros e vários macaquinhos que vivem na Ilha da Pólvora, no Espírito Santo.

Seu Joatã é policial militar aposentado e mora em Cidade de Cariacica, a mais de dois quilômetros da ilha.

O filho dele, Luciano Fortunato Ramos, contou ao SoNoticiaBoa que, antes da viagem, o pai tem todo um ritual: prepara alimentos pra ele, para os cães – que foram abandonados por uma família que morava na ilha – e leva as bananas descascadas para os macaquinhos.

E como depende da aposentadoria, ele conta com ajuda de amigos para comprar ração e comida para os bichos.

“Pessoas que não têm tempo disponível, pagam a ração para os bichos” e ele leva, contou Luciano.


Espantar a tristeza


No último fim de semana, Luciano acompanhou o pai no barco e viu pela primeira vez, de perto, a boa ação do seu Joatã.

“A novidade pra mim foi saber que ele atravessa a ilha” para alimentar os bichos, disse.

Mas o trajeto compensa quando se vê a alegria dos animais quando seu Joatã chega.

Sim, é desse jeito que ele passa o tempo para esquecer da tristeza.

“Como minha mãe e faleceu há alguns meses, meu pai mantém a mente em coisas do lar e na pescaria” – além de alimentar os animais abandonados – disse o filho.

Ajudar provoca essa energia transformadora! Que exemplo o seu Joatã!


Fonte: Só Notícia Boa